Claudio Ranieri não ficou muito tempo sem emprego: quatro meses depois de ser demitido do Leicester, o italiano de 65 anos assumiu o comando do Nantes e dará início ao seu segundo trabalho no futebol francês. Em outro patamar, depois do título inglês com as Raposas, será interessante acompanhar o seu trabalho em um elenco que foi sétimo colocado na última temporada da Ligue 1.

LEIA MAIS: Ranieri: “Montei o Leicester para ser como o Atleti. Eles são um time italiano, não espanhol”

 

A contratação de Ranieri não foi tão fácil quanto deveria ser por causa da sua idade. Há uma restrição para profissionais acima dos 65 anos na França, e o Nantes precisou de uma permissão especial da liga francesa para assinar o contrato por duas temporadas. “Conheço o Nantes muito bem”, afirmou ao site do clube. “O fato de o time ter ido da parte de baixo da tabela para o sétimo lugar mostra que os jogadores têm qualidade. Estou acostumado a trabalhar duro para conseguir resultados”.

O Nantes terminou a edição 2015/16 do Campeonato Francês na 14ª posição, mas distante nove pontos da zona de rebaixamento. Melhorou bastante na última temporada: liderou um pelotão intermediário em que o sétimo colocado, o Nantes, foi separado por apenas cinco pontos do 12º, o Angers. Conseguiu esse bom resultado mesmo com um saldo de gols negativo de 14, com 40 marcados e 54 sofridos. Dez de suas 14 vitórias foram por um gol de diferença. Defensivamente, no entanto, foi vazado pelo menos três vezes em sete ocasiões.

“Eu me convenci pelo projeto do Nantes. Há uma categoria de base muito forte, com jogadores como Marcel Desailly e Didier Deschamps sendo formados, há muitos jovens de boa qualidade aparecendo agora, e o presidente tem bastante entusiasmo”, completou, em entrevista à Mediaset Premium, o treinador que fará seu segundo trabalho na França. Em 2012/13, venceu a segunda divisão com o Monaco, conseguiu o acesso e foi vice-campeão na temporada seguinte.

Ranieri foi alvo de críticas e até de gozações durante parte da sua carreira, mas ganhou muita moral com o título inglês do Leicester. Terá a chance de confirmar que aquela temporada não foi mero acaso e que ele pode realizar mais um bom trabalho, com um clube diferente, em uma liga diferente.


Os comentários estão desativados.