A seleção argentina perdeu Lionel Messi para suas duas últimas partidas pelas Eliminatórias da Copa do Mundo. Motivo de preocupação da Albiceleste pelos problemas físicos de seu craque, mas também de esperança pela reposição feita por Alejandro Sabella. Afinal, o treinador acertou a mão na escolha do substituto de seu camisa 10, com a classificação ao Mundial já assegurada. O selecionado foi Mauro Icardi, jovem atacante que tem deixado ótimas impressões na Serie A e, não à toa, já era visado para defender a Itália.

O assédio da Azzurra pode ter acelerado a convocação de Icardi, mas o jogador de 20 anos já fazia por merecer sua primeira chance na Argentina. O atacante foi uma das principais revelações do último Campeonato Italiano, ao se destacar com a Sampdoria. Foram 10 gols em 31 partidas pelos blucerchiati, incluindo quatro na goleada sobre o Pescara. Motivo suficiente para que causasse o interesse da Internazionale, que pagou € 6 milhões por sua transferência. E, mesmo reserva dos nerazzurri, já marcou dois gols pelo clube, inclusive no dérbi contra a Juventus.

As características de Icardi o colocam como forte concorrente a uma vaga na seleção argentina, graças a sua mobilidade e a sua qualidade nas finalizações. O faro de gol, unido a sua trajetória, tornam comum a alcunha de “novo Messi”. Assim como o craque, o camisa 9 nasceu em Rosário e foi levado ainda jovem às categorias de base do Barcelona, aos 15 anos, quando vivia com a família nas Ilhas Canárias. O problema é que os blaugranas não se deram conta de seu potencial e o liberaram à Sampdoria três anos depois, por € 300 mil.

Comparável ou não a Messi, o fato é que Icardi é um nome útil ao ataque da Argentina. Se não for a tempo de disputar a Copa do Mundo, será para os próximos ciclos. A concorrência atual é dura, com Rodrigo Palacio, titular de sua posição na Inter, ocupando o banco com Sabella. Entretanto, nada mais coerente que observar o jogador, já que até Franco Di Santo ganhou uma chance recente por seu desempenho com o Wigan.

Considerando que a seleção argentina não deverá levar tão a sério os dois últimos compromissos pelas Eliminatórias, Sabella poderá até mandar Icardi para campo contra Peru e Uruguai, evitando de vez a possibilidade de atuar pela Itália. Será a chance de provar que tem condições de servir seu país, mais do que a mera questão de não ser um reforço à Azzurra.