Completo, de volta a Anfield, o Liverpool fez sua melhor apresentação pela Premier League em alguns meses, nesta quarta-feira, e contou com um golaço de Fabinho para vencer o Crystal Palace por 4 a 0 e ficar a um passo de seu primeiro título inglês em 30 anos. Falta apenas uma vitória, o que significa que o título pode ser conquistado contra o Manchester City, na semana que vem, mas nem isso seria necessário caso o atual bicampeão inglês não vença o Chelsea, nesta quinta-feira, em Stamford Bridge.

Simbólico para o jogo que pode entrar para a história como o do título, o Liverpool teve força máxima, com Andrew Robertson e Mohamed Salah de volta ao time titular, e não deu a menor chance ao azar, com uma daquelas apresentações em que não permite que o adversário sequer respire.

Girando a bola, recuperando-a rapidamente, sabendo quando esticar o passe ou quando tirar o ritmo da partida, com muitas finalizações e movimentações, o Liverpool marcou quatro vezes em uma defesa que estava há quatro rodadas sem ser vazada, e tudo ficou pior ao visitante ao perder Wilfried Zaha, por leão, ainda no começo da partida.

Aos 16 minutos, Joe Gomez lançou uma boa bola para Mané, que deixou de calcanhar para Firmino. O atacante brasileiro, em longo jejum em Anfield, entrou na área e tentou bater colocado, no canto. Sem força, porém, facilitou a defesa de Wayne Hennessey, substituindo o titular Vicente Guaitá.

O placar foi aberto em uma perfeita cobrança de falta de Trent Alexander-Arnold, da entrada da área. A bola foi colocada à meia-altura, rente à trave, fora do alcance de Hennessey ou de qualquer outro goleiro e, pouco depois, Mané rolou para Wijnaldum fazer 2 a 0, mas a finalização do holandês não foi das melhores.

O segundo gol, porém, não demorou a aparecer. Ainda antes do intervalo, Fabinho colocou a bola por cima das linhas de defesa do Crystal Palace direto no peito de Salah, que apenas dominou e tocou na saída de Hennessey.

A pressão do Liverpool mal arrefeceu na etapa final e o resultado ficou além de qualquer dúvida, aos 10 minutos, quando Fabinho dominou a bola na intermediária. Com muito espaço, teve calma para decidir o que fazer e bateu perfeitamente para que seu míssil fosse subindo até morrer nas redes do Palace.

Salah, Mané e Firmino, trio que sem dúvida entrará para a história com um dos maiores do Liverpool, combinaram para o quarto gol em uma rápida jogada de contra-ataque. Mané começou pela esquerda com Firmino, que soltou na direita para Salah. O egípcio emendou de primeira com a perna direita para colocar Mané nas costas da defesa. Bastou ao senegalês dominar e tocar na saída de Hennessey.

Goleada completa, com uma semana de folga pela frente por estar fora da Copa da Inglaterra, Jürgen Klopp começou a rodar e deu minutos ao garoto Neco Williams e a Takumi Minamino, ainda precisando de tempo de jogo para se adaptar à Inglaterra.

O que o Liverpool precisava fazer, porém, estava feito. Não apenas a vitória, mas também uma apresentação mais próxima às que o fizeram ter tanta vantagem na ponta da tabela. Ficou clara a falta de ritmo contra o Everton, mas, antes da paralisação, o líder vinha vencendo pela liga inglesa no sufoco, perdeu a invencibilidade para o Watford e foi eliminado da Champions League, embora tenha atuado bem contra o Atlético de Madrid, e na Copa da Inglaterra.

Contra o Crystal Palace, não apenas pode ter conseguido os pontos que precisava para ser campeão, mas, principalmente, voltou a jogar como um.

.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore