O Corinthians reafirmou sua força na Copa Libertadores Feminina nesta terça-feira, com mais um passo em busca do título continental. As alvinegras eram favoritas no duelo contra o Santiago Morning e cumpriram sua missão: conquistaram a vitória por 2 a 0 sobre as chilenas, dentro do Estádio Olímpico Atahualpa. As corintianas avançam as semifinais, fase na qual representarão o Brasil ao lado da Ferroviária. Pelo bom desempenho das equipes do país, não surpreenderia uma inédita decisão brasileira no torneio continental.

Desde o primeiro tempo, o Corinthians sublinhou sua superioridade contra o Santiago Morning. Conseguiu criar diversas chances e teve um gol anulado. Aos 27 minutos, as alvinegras inauguraram a contagem. Tamires fez o cruzamento pela esquerda e Giovanna Crivelari aproveitou a liberdade dentro da área para marcar. A camisa 19 se esticou para alcançar a bola, vencendo a goleira.

Logo no início do segundo tempo, o Corinthians ampliou a diferença. E as alvinegras capricharam no segundo gol, nascido numa envolvente troca de passes. As corintianas colocaram as chilenas na roda, com uma série de toques de primeira na faixa central. Juliete dominou dentro da área e bateu bonito para estufar as redes. As alvinegras ainda ficaram mais próximas do terceiro tento, sem ampliar até o apito final.

Esta é a segunda vez que o Corinthians chega às semifinais da Libertadores Feminina. Em 2017, quando ainda possuía parceria com o Audax, o clube terminou com a taça, ao derrotar o Colo-Colo na finalíssima. Na próxima fase, as alvinegras aguardam o resultado do duelo entre as argentinas do UAI Urquiza e as colombianas do América de Cali. As duas equipes fecham a rodada das quartas de final na sequência da noite desta terça.

O Corinthians voltará a campo na próxima sexta-feira, 25 de outubro. Já a Ferroviária joga um dia antes, quando se encontra com o Cerro Porteño no Estádio Olímpico Atahualpa. Ambos os jogos terão transmissão no DAZN. Caso as brasileiras prevaleçam também na próxima fase, seria a primeira vez que duas equipes do mesmo país fariam a final da Libertadores Feminina. Desde que a competição foi criada, em 2009, o Brasil só não esteve presente em uma das finais, além de garantir sete taças. O São José é o maior campeão, com três títulos. Corinthians e Ferroviária tentam se equiparar ao Santos, que tem dois troféus.