A Nigéria conseguiu a sua primeira vitória na abertura da segunda rodada da Copa do Mundo Feminina, na França. Jogando em Grenoble, as africanas venceram por 2 a 0, mantendo o sonho de classificação à próxima fase, depois de perder por 3 a 0 da forte Noruega na primeira rodada. Para a Coreia do Sul, é o fim da linha. As asiáticas já tinham sido goleadas por 4 a 0 pela França no primeiro jogo e agora só cumprirão tabela na rodada final contra a Noruega.

Um gol bizarro

O primeiro tempo foi fraco tecnicamente. Pouca coisa aconteceu efetivamente e os dois times pareciam incapazes de criarem boas chances de gol. A Coreia do Sul pouco conseguia chegar e a Nigéria, apesar de tentar um pouco mais, fazia pouco também. Até que em um lançamento longo, a zagueira Kim Doyeon tentou o toque na bola, acabou tocando para trás e a goleira, mal posicionada saindo do gol, não conseguiu evitar o gol contra. Foi o 1 a 0 para a Nigéria, que tornou a vida das sul-coreanas ainda mais complicada.

Coreia do Sul com muitos passes

As sul-coreanas tiveram mais a bola ao longo do jogo. Terminaram a partida com 58% de posse de bola (42% para a Nigéria, portanto) e trocaram mais passes (425 x 189). Só que a dificuldade em criar as jogadas era clara. O time pareceu não conseguir articular para criar uma chance real de gol. Na única vez que conseguiu, chegou ao gol – anulado, corretamente, por impedimento.

Oshoala e a velocidade

Com o placar favorável, em um jogo de pouca qualidade técnica dos dois times, a Nigéria passou a ter espaço para contra-atacar no segundo tempo. Atacando os espaços, sempre com muita velocidade, tentou pegar a equipe sul-coreana desorganizada e levou até algum perigo. O segundo gol da partida veio justamente assim: lançamento logo para Oshoala, jogadora do Barcelona, que ganhou na velocidade, driblou a goleira e tocou para o gol: 2 a 0.

Classificação possível

Depois de tomar 3 a 0 na estreia, a situação da Nigéria ficou complicada no grupo. Parece claro que França e Noruega são as duas principais seleções do grupo e devem ficar com as duas vagas diretas. Por isso, o sonho da Nigéria é ficar entre uma das quatro melhores terceiras colocadas entre os seis grupos para avançar. Com três pontos, seria importante conseguir mais um para garantir a vaga. O problema é que o saldo de gols negativo neste momento em um gol não favorece. Será preciso tentar ao menos um empate no último jogo – que será contra a favoritíssima França. Missão complicada para a equipe africana. A Coreia do Sul, por sua vez, está eliminada.

Ficha técnica

Nigéria 2×0 Coreia do Sul

Local: Stade des Alpes, em Grenoble
Árbitra: Anastasia Pustovoytova (Rússia)
Gols: Kim Doyeon (contra) aos 29’/1T, Asisat Oshoala aos 30’/2T (Nigéria)
Cartões amarelos: Rita Chikwelu (Nigéria), Hwang Boram, Ji Soyun (Coreia do Sul)

Nigéria: Chiamaka Nnadozie; Chidinma Okeke, Osinachi Ohale, Onome Ebi e Ngozi Ebere; Chinaza Uchendu (Halimatu Ayinde), Ngozi Okobi e Rita Chikwelu; Asisat Oshoala (Uchenna Kanu), Desire Oparanozie e Francisca Ordega (Anam Imo). Técnico: Thomas Dennerby

Coreia do Sul: Kim Minjung; Kim Yeri, Hwang Boram, Kim Doyeon e Jang Selgi; Kang Chaerim (Lee Sodam), Lee Mina (Moon Mira), Cho Sohyun, Ji Soyun e Lee Geummin; Jung Seolbin (Yeo Minji). Técnico: Yoon Dukyeo