Uma das esperanças do Real Madrid após a saída de Cristiano Ronaldo é que o time não precisaria de uma estrela contratada para o lugar do português. Gareth Bale é um jogador com um potencial imenso de ser o cara do time e comandar, tecnicamente, o elenco estrelado dos madridistas. Até aqui, a pré-temporada tem mostrado exatamente isso. Bale foi mais uma vez o principal jogador do time na vitória por 2 a 1 sobre a Roma, na noite de terça-feira nos Estados Unidos. Participou dos dois gols e centralizou as principais jogadas do time.

LEIA TAMBÉM: Com Asensio artilheiro, petardo de Bale e assistência de Vinícius, o Real bateu a Juve de virada

Jogando no estádio MetLife, em Nova Jersey (time que tem o New York Giants como dono), o Real Madrid conseguiu sair em vantagem logo no início do duelo. Gareth Bale foi decisivo em 15 minutos, dando dois gols de vantagem ao Real Madrid, que terminaram por serem decisivos. Logo a um minuto de jogo, Bale, pela direita, fez um lindo passe de trivela para Asensio, que, na cara do gol, não desperdiçou e abriu o placar.

Atuando a partir da ponta direita, Bale mostrou ser um jogador criativo e capaz de organizar o time, além de ser uma flecha. O segundo gol do Real Madrid explorou as características mais conhecidas de Bale: sua velocidade e a boa finalização. O camisa 11 recebeu pela direita, avançou sobre a marcação e finalizou, preciso, no canto, marcando 2 a 0 antes do relógio chegar a 15 minutos de jogo. A Roma descontaria no segundo tempo com um gol de Kevin Strootman. Bale acabou sendo eleito, justamente, o melhor jogador da partida.

“Temos um novo treinador que traz novas ideias e trabalhamos todos os dias para melhorar. Estamos fazendo o que ele nos pede, marcamos gols e ganhamos as partidas, assim vamos bem. Temos que seguir melhorando e estamos com muita vontade de começar a nova temporada”, afirmou Bale depois do jogo. Um discurso que é bem diferente daquele do dia 26 de maio, na final da Champions, quando parecia se despedir do clube.

Quando perguntaram a Lopetegui sobre Bale sendo o substituto de Cristiano, o técnico fez o seu papel: minimizou. “Não acho que ninguém deva levar o peso de ninguém. Tem que dar o seu melhor, é um grandíssimo jogador. Não gosto de entrar em comparações, nem se deve levar o peso a outros jogadores. Isso é mais para vocês”, respondeu. “Ninguém carrega a equipe nas costas. Dão o melhor para a equipe. É um grandíssimo jogador, mas é a equipe que deve empurrar a todos. Gareth está fazendo algo fenomenal e estou convencido que fará uma grande temporada”.

Se Bale por um lado se tornou o protagonista do time, ao menos no ataque, outro que tem excelente perspectiva é Asensio. A pré-temporada do jogador foi ótima, com três gols marcados e boas atuações. Tende a começar a temporada como titular do time, atuando pelo lado esquerdo do ataque, com Karim Benzema pelo centro e Bale mais pela direita. Uma aparente volta ao 4-3-3 de Lopetegui.

Os três meio-campistas escolhidos por Lopetegui para começar o jogo foram Toni Kroos, mais recuado, com Isco e Dani Cabellos ao seu lado. Uma formação bem menos marcadora do que a habitual, mas interessante do ponto de vista de criação de jogadas. Luka Modric ainda não atuou desde a Copa, assim como o volante brasileiro Casemiro. São dois jogadores que, em tese, devem ser titular e, por isso, há dúvidas em relação a quem sai.

Ceballos será opção no banco, substituído por Modric. Casemiro entraria no lugar de quem? Isco e Asensio são os candidatos. Ou, em uma mudança um pouco mais drástica, Benzema, que não fez grande temporada em 2017/18. Talvez será possível ver algo em relação a isso na Supercopa da Uefa, no próximo dia 15, em Tallin, na Estônia. Lá, com todo o elenco, talvez Lopetegui mostre um pouco mais do que pensa para a temporada.

Assista aos melhores momentos do jogo: