Mais duas rodadas das Eliminatórias da Concacaf se passaram e os Estados Unidos conseguiram dois importantes resultados: vitória contra Trinidad & Tobago, em casa, e empate, como visitante, com o México. Nos dois jogos, o novo técnico Bruce Arena rodou bem o elenco convocado e mostrou qualidades que o Jurgen Klinsmann não conseguiu aplicar em sua passagem.

LEIA MAIS: Beckham consegue direito de construir estádio para sua franquia, mas é só o primeiro passo

Além da rodagem do elenco, algo que o alemão não fazia, a aposta em atletas jovens parece ter dado certo. Pulisic já está se consolidando como peça fundamental desta seleção, com dois grandes jogos. Bobby Wood, que atua no futebol alemão, também já virou uma presença constante entre os titulares. Chamaram a atenção, no entanto, as presenças de Kellyn Acosta e Darlington Nagbe, ambos fazendo bons jogos.

Acosta e Nagbe jogam, respectivamente, no FC Dallas e no Portland Timbers, ambos da Major League Soccer. Klinsmann nunca foi um grande entusiasta da liga nacional, sempre preferindo escolhas duvidosas de americanos que atuavam em outros lugares do mundo, às vezes até em divisões inferiores da Europa. O alemão chegou a dizer que não gostava do baixo nível do torneio, sempre prontamente rebatido por Don Garber, comissário da MLS.

Bruce Arena, o novo técnico, porém, comandava o Los Angeles Galaxy. Logo, é um grande conhecedor do torneio local e sabe escolher bem suas peças. Na convocação que fez pensando nas eliminatórias e também na Copa Ouro, a maioria dos atletas está na MLS. É bem verdade que os atletas que atuam na Europa estão em fim de temporada e merecem férias, mas a escolha de Arena é mais para dar espaço aos jogadores da liga.

Outros atletas como Dax McCarthy, Jordan Morris e Matt Hedges ficaram no banco, mas ganharam pontos por conta de bons jogos feitos em seus clubes na MLS.

Com boas peças no elenco, os Estados Unidos voltam a se colocar como favoritos à vaga na Copa do Mundo. Bruce Arena tem seus méritos, apostando em jogadores antes menosprezados por Klinsmann. O futuro da seleção americana está sendo construído neste momento e os frutos podem sair mais rápido do que o esperado.