Sábado de sol em Manaus e um jogo decisivo pela frente, com muita expectativa criada. O atual tricampeão amazonense, Manaus, tinha um desafio gigantesco: enfrentava o Caxias com o peso de um sonho nas costas: subir de divisão. Há 20 anos não havia um acesso de um time da capital do Amazonas. Mais do que isso: desde 2008 nenhum time do Amazonas jogava a terceira divisão. E tinha mais: havia o incômodo que aconteceu pelo comportamento de uma parte da torcida do Caixas, que tratou os amazonenses de forma pejorativa. Contra tudo isso, o Manaus jogou o que sabe, fez 3 a 0, pela Série D, e escreveu um capítulo espetacular na história do futebol do Estado: está na Série C de 2020.

O duelo foi marcado não só pelo jogo em campo, mas pelas polêmicas também fora de campo. No jogo de ida, o Caxias venceu por 1 a 0, mas antes mesmo do jogo, uma certa polêmica. Torcedores do Caxias fizeram foguetório próximo ao hotel da equipe do Norte do país. Mais do que isso, foi relatado um clima de guerra.

Depois de perder o jogo no domingo, 14, o planejamento da delegação era dormir no mesmo hotel que estava desde sexta-feira, mas as ameaças de torcedores do Caxias fizeram o clube mudar de ideia e passar a noite em Porto Alegre. O clube divulgou um comunicado lamentando os incidentes, incluindo também o disparo de alarme na noite anterior ao jogo. E convocou a torcida para comparecer na Arena da Amazônia. O comportamento de alguns torcedores acabou incomodando, com xenofobia contra os amazonenses em comentários, algo que a imprensa local repercutiu.

Todo esse contexto criou um clima que fez o Manaus ser abraçado na Arena da Amazônia. A tensão era grande e os dois times acabaram o primeiro tempo empatados em zero a zero. Aos 26 minutos do segundo tempo, porém, o Manaus conseguiu abrir o placar em uma jogada bonita. Vitinho cruzou da direita, Hamilton cabeceou, Mateus Oliveira fez o pivô e Rossini soltou uma bomba para estufar a rede e marcar 1 a 0.

O placar de 1 a 0 igualava o duelo, mas deixava ainda tudo em aberto. Só aos 40 minutos veio mais um. Um bate e rebate dentro da área e Vitinho tocou para Rossini chutar para marcar 2 a 0, resultado que já era suficiente para a classificação. Já nos acréscimos, o Manaus pegou o Caxias desarrumado e Vitinho tocou para Mateus Oliveira, que tirou da marcação e tocou no canto para marcar 3 a 0 no placar e definir a vaga.

O terceiro gol gerou uma confusão. Os jogadores do Caxias reclamaram de um possível toque de mão. Foram cerca de cinco minutos de paralisação e que resultou ainda em três expulsões: Mateus Oliveira, autor do gol, Patrick Borges, que estava no banco, e Eduardo Diniz, do Caxias.

No fim, não teve jeito e o Manaus comemorou o acesso à Série C do Campeonato Brasileiro. Eram 12 anos sem um time do Amazonas na Série C e 20 anos sem um acesso de time de Manaus. O São Raimundo tinha sido o último, ao subir da Série C para a Série B em 1999. A última vez que um time do Amazonas disputou a Série C foi antes da reformulação, que criou a Série D. Em 2008, Holanda e Fast Clube disputaram a Série C. Em 2009, com a criação da Série D, os amazonenses, mal colocados, acabaram tendo que disputar a Série D e nunca mais um time do estado tinha conseguido o acesso. Essa marca caiu. O sonho do Manaus agora se realiza e a Série C terá o Gavião do Norte.

*****

Estamos também no YouTube! Confira nosso último vídeo e se inscreva no canal para fortalecer o jornalismo esportivo independente em mais um meio: