Com apenas oito homens em campo, o Herediano buscou um empate insano, com dois gols depois dos 45 do 2° tempo

Um dos principais clubes da Costa Rica, o Herediano protagonizou uma das partidas mais insanas dos últimos tempos. O adversário não inspirava tanto respeito, o Municipal Grecia, lanterna do campeonato nacional. Jogando fora de casa, o Herediano buscou o empate por 2 a 2 após os 45 do segundo tempo. Todavia, o impressionante mesmo eram as condições: a equipe visitante tinha apenas oito homens em campo, três a menos que os adversários até o fim do tempo regulamentar, quando se iniciou a reação.

O Municipal Grecia surpreendia dentro de casa. A equipe abriu o placar aos três minutos e ampliou aos 29 do primeiro tempo. Já o festival de expulsões começou pouco antes do intervalo, com o primeiro jogador do Herediano para o chuveiro. Os visitantes receberam mais dois cartões vermelhos em campo, um aos oito e outro aos 35 minutos do segundo tempo, além de terem outro jogador no banco expulso e também o treinador.

Mesmo com oito jogadores, o Herediano segurou o ímpeto dos 11 atletas do Municipal Grecia. E a história começou a mudar aos 42 do segundo tempo, quando o time da casa também recebeu um cartão vermelho e ficou com dez homens. No pênalti gerado pela falta, Yendrick Ruiz descontou ao 45. Já o gol decisivo veio aos 48, num chute de Suhander Zúñiga que o goleiro adversário aceitou. Com torcida parcial nas arquibancadas, a comemoração foi grande.

Vale dizer ainda que o Herediano foi a campo com quatro desfalques por causa da COVID-19. A equipe ocupa a vice-liderança do Apertura no Campeonato Costarriquenho, com 15 pontos em 10 rodadas. Já o Municipal Grecia não vence há oito rodadas e ocupa a lanterna do Grupo A. O desastre deste sábado diz muito.

https://www.instagram.com/p/CGw_3-yAby7/