De um lado, uma foto gigante de Luís Figo. Do outro, uma imagem do mesmo tamanho de Cristiano Ronaldo. Dois dos jogadores mais importantes da história do futebol português e mundial, ambos formados pelo Sporting. Com eles como “testemunhas”, o presidente leonino, Bruno de Carvalho, aperta a mão de André, novo contratado do clube.

LEIA MAIS: Entre boas ações após incêndios em Portugal, jogadores do Rio Ave viram sócios dos Bombeiros

Antes que se condene a heresia de colocar o ex-atacante corintiano em meio às ilustres figuras, vale ressaltar que o cenário é o mesmo em que são tiradas as fotos oficiais e protocolares de todas as contratações do clube. Mas não deixa de ser curioso o fato de André, em poucos dias, ter saído de um ambiente em que era duramente criticado para ser apresentado por um importante clube europeu.

É verdade que em nenhum momento o Sporting tratou a chegada do atacante como uma grande contratação da atual janela de transferências. André é visto, a princípio, como alguém que vai compor o elenco e tentar brigar por um lugar no time. Ainda assim, é inevitável questionar se os leões realmente têm noção do tipo de contratação que fizeram.

O apelido de André Balada e o histórico pouco ortodoxo do jogador fora de campo foram bastante lembrados pela imprensa portuguesa nos últimos dias. Para ser justo, as suas boas fases – especialmente no Santos e no Sport – também foram citadas.

A questão é que ninguém, nem mesmo os dirigentes sportinguistas, sabem exatamente qual André foi contratado até junho de 2019 (numa negociação que envolveu o fim da dívida do Corinthians com o clube português pelo volante Elias): se o artilheiro dos tempos santistas, o esforçado dos tempos do Sport, o perdedor de gols no Corinthians ou o baladeiro de tantos lugares.

É provável que a grande aposta para fazer André dar certo esteja no técnico Jorge Jesus, citado pelo próprio jogador como fator decisivo em sua escolha pelo time alviverde. Afinal, não dá para duvidar de alguém que fez, por exemplo, Bruno César tornar-se importante para a equipe.

Medo da janela

Ainda sem André, o treinador protagonizou um momento histórico para a própria carreira neste domingo (28). Ao sair vencedor do clássico contra o Porto (2 a 1, em Alvalade), o experiente Jorge Jesus conseguiu, pela primeira vez na vida, alcançar a marca de três vitórias nas três rodadas iniciais do Campeonato Português.

O Sporting ganhou de virada o primeiro clássico da temporada, num jogo que pode ser classificado como histórico, ao lembrarmos que o Porto não perdia uma partida de virada pela Liga Portuguesa há 18 anos.

Histórico, também, porque marcou a despedida do atacante Slimani, que chorou copiosamente após o apito final. O argelino, autor do primeiro gol dos leões na partida, entrou para o top-20 dos artilheiros do clássico Sporting x Porto, com seis gols. Do lado alviverde, ele é o principal marcador do duelo desde 1970.

E histórico, ainda, porque há 40 anos o Sporting não vencia o Porto três vezes seguidas pelo campeonato nacional.

Porém, ao mesmo tempo em que há motivos para empolgação, o torcedor também pode ficar com a pulga atrás da orelha. Assim como não dá para saber qual André foi contratado, ainda é impossível ter noção de qual Sporting seguirá na disputa da temporada. O time já perdeu Slimani e o meia João Mário e, enquanto a janela de transferências não for fechada, há risco de mais gente sair. Na entrevista coletiva depois da vitória no clássico, Jorge Jesus desabafou ao falar sobre o que classificou de uma semana muito complicada. “Acho que até o roupeiro convidaram para sair”, disse.

Além de André, o clube contratou recentemente o zagueiro Douglas (ex-Trabzonspor, da Turquia) os atacantes holandeses Luc Castaignos e Bas Dost, que estavam no futebol alemão (Eintracht Frankfurt e Wolfsburg, respectivamente). São jogadores que até podem virar ídolos no futuro, mas que ainda não se comparam aos que saíram.

Saber qual André jogará no futebol português é uma curiosidade que será respondida em breve. Saber qual Sporting se apresentará ao longo do campeonato é uma preocupação que o torcedor sensato deve ter, mesmo com a liderança isolada e a vitória no clássico.