O Slavia Praga era o candidato a saco de pancadas no “grupo da morte” da Champions League e, mesmo com a lanterna da chave, se despediu da competição continental dignamente. Os tchecos dificultaram a vida de Internazionale, Borussia Dortmund e Barcelona em ao menos uma das partidas e mereciam resultados até melhores. Apresentaram ao restante da Europa um bom trabalho doméstico que, após encerrar um jejum de oito anos no Campeonato Tcheco, agora garante o bicampeonato nacional. Nesta quarta, os alvirrubros confirmaram mais uma taça, em campanha que começou arrasadora e contou com números defensivos absurdos. É o 20° título do clube, ainda distante dos 33 enfileirados pelo rival Sparta Praga.

Dentro da realidade do futebol tcheco, o Slavia Praga está muito à frente de sua concorrência. Apesar dos atritos entre os políticos locais e os investidores chineses que atuam no país, o dinheiro do Grupo Sinobo alavancou a competitividade dos alvirrubros e permitiu a montagem de um ótimo elenco. O técnico Jindrich Trpisovsky não conta com estrelas, mas possui um conjunto azeitado e com alguns talentos que poderiam até render em centros maiores – a exemplo do ponta Peter Olayinka ou do meio-campista Lukas Masopust.

Após a conquista do Campeonato Tcheco em 2016/17, o Slavia Praga teve seus altos e baixos, sobretudo por dificuldades nos bastidores e mudança de donos entre diferentes grupos chineses. Mesmo assim, recuperou-se rapidamente e levou o título em 2018/19 com certas sobras. Pois a campanha atual viu uma equipe ainda mais entrosada, que elevou o seu rendimento e não encontrou concorrentes. A taça conquistada com três rodadas de antecedência coroa esta dominância.

E isso porque o Slavia Praga perdeu um pouco de seu fôlego neste início de 2020. Os alvirrubros terminaram 2019 invictos no Campeonato Tcheco, com 17 vitórias nas primeiras 20 rodadas. Os tropeços se tornaram um pouco mais frequentes nos meses anteriores à paralisação, o que permitiu ao Viktoria Plzen diminuir a distância nesta reta final. Já nesta quarta, o confronto direto no Estádio Sinobo poderia até reduzir a vantagem dos líderes para três pontos. O Slavia, porém, não permitiu qualquer reviravolta. Petr Sevcík assinalou o gol da vitória por 1 a 0 e, com nove pontos abertos, o time da capital comemorou a conquista. Festa da torcida, que pôde comparecer em número limitado às arquibancadas.

Dentre as estatísticas do Slavia, a mais impressionante é a de gols sofridos. Os alvirrubros tomaram míseros 11 tentos em 32 partidas, média de pouco mais de um a cada três rodadas. É a sétima defesa menos vazada na história das ligas pela Europa, segundo o RSSSF, e a melhor dos últimos 28 anos no continente. Não é pouco. O time não foi vazado em 23 dos 32 jogos realizados até o momento e, durante sua série invicta nas 20 primeiras rodadas, havia tomado somente quatro gols. O goleiro Ondrej Kolar e o zagueiro Ondrej Kudela são figuras primordiais na equipe. E se o ataque não é tão fora de série assim, os 62 gols ainda representam um bom número. Nicolae Stanciu e Petr Sevcík são os principais responsáveis pelos tentos. E vale mencionar ainda o volante Tomas Soucek e o atacante Milan Skoda, que saíram em janeiro.

A continuidade do Grupo Sinobo é primordial às pretensões do Slavia Praga em seguir sua ascensão e os entraves políticos ao redor da parceria são uma preocupação evidente. Caso o investimento chinês se mantenha, é um clube para almejar outro bom papel continental, sobretudo com um pouco mais de sorte no chaveamento. O título tcheco coloca o Slavia na terceira fase preliminar da Champions e a equipe precisará se provar contra adversários de outras ligas secundárias da Europa. Contudo, já demonstrou capacidade para não temer qualquer um que apareça à sua frente na competição.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore