Clubes da MLS e do México pressionam para jogar Libertadores, diz site

O presidente da Concacaf, Victor Montagliani, deixou muito claro, em maio do ano passado, que os clubes da Major League Soccer e da Liga MX “não tinham intenção alguma” de disputar a Libertadores. Ao Globo Esporte, foi mais taxativo: “Impossível”. No entanto, segundo o site argentino Doble Amarilla, o clima estaria mudando.

[foo_related_posts]

Montagliani deu uma entrevista ao One Soccer falando sobre as dificuldades de uma fusão entre a Liga MX e a MLS e que a demanda por jogos mais interessantes seria suprida por meio de uma expansão da Champions League da Concacaf e o fortalecimento do torneio secundário com times do Caribe, América Central e Canadá.

No entanto, a ideia, de acordo com o Doble Amarilla, não agrada os mexicanos e os maiores clubes dos Estados Unidos.

O site cita uma declaração de Tata Martino, treinador do México e ex-comandante do Atlanta United, de que “o melhor seria competir contra os melhores, ou seja, jogar a Copa América e a Copa Libertadores” e afirma que os times da Liga MX e alguns da MLS disseram a Montagliani que querem fazer exatamente isso: “Testar-se contra equipes argentinas, brasileiras, uruguaias, paraguaias e colombianas”.

No entanto, para que isso se concretize, o primeiro obstáculo seria superar a frieza de relações entre as duas confederações, desde que a Conmebol se recusou a participar da uma segunda edição da Copa do Centenário que a US Soccer, federação norte-americana de futebol, queria armar para 2020 com seleções das duas entidades.

Ainda, segundo o Globo Esporte, a Concacaf recusou proposta semelhante da Conmebol meses antes e a entidade sul-americana lamentou que EUA e México tenham se recusado a disputar a Copa América de 2019, levando aos convite a Catar e Japão. Na data citada, a Conmebol armou outra edição do seu torneio de seleções na Colômbia e na Argentina, buscando conciliar o calendário com a Eurocopa, que acabou adiado por causa da pandemia de coronavírus.

O presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, chegou a dizer, também em maio do ano passado, que os clubes mexicanos manifestaram o desejo de retornar à Libertadores, mas que os aceitaria apenas como “sócios plenos”, e não mais como convidados com restrições (como não ter vaga no Mundial em caso de título).

Montagliani citou questões logísticas que complicariam a ideia, como “jogar em Buenos Aires na quarta e em Seattle no sábado”, de acordo com o Globo Esporte.

.