Jason Cowley já fez mais de 100 gols pelo Bromsgrove Sporting, clube da oitava divisão inglesa do qual ele é o maior artilheiro. Mas o que marcou no último sábado, na vitória por 2 a 1 sobre o Corby Town, foi especial. Entre dois marcadores, o atacante dominou um passe de cabeça mandando a bola bem alto para cima e, sem deixá-la cair, emendou um chute de primeira no canto do goleiro. 

LEIA MAIS: Sete jogos e um mês depois, Scholes já não é mais técnico do Oldham

Imediatamente, as redes sociais começaram a mencionar que o gol deveria ser candidato ao Prêmio Puskás, concedido pela Fifa ao tento mais bonito do ano, e o próprio clube que disputa a Southern League Division One Central afirmou à Press Association que ele deveria, sim, ser considerado

“Definitivamente o gol se qualifica. Não deveria ser apenas as principais ligas. Um gol incrível é um gol incrível em qualquer nível e esse foi certamente isso. Que grande propaganda para a qualidade que você pode encontrar nas divisões inferiores também”, afirmou. “Apesar da natureza desse gol excepcional, sem dúvidas um dos melhores que o Victoria Ground (estádio do Bromsgrove) viu em 109 anos de história, nossa fiel torcida não espera nada menos de Jason”. 

O próprio Jason não sabe direito como fez isso. “Eu mesmo fiquei chocado. A bola veio para mim e eu normalmente tentaria mandar por cima do defensor e correr, mas, dessa vez, eu pensei: ‘vou bater nela’. Eu não sabia exatamente como comemorar”, afirmou. 

Em dez edições do Prêmio Puskás, 100 gols já foram indicados, entre eles tentos que saíram na segunda divisão sueca, em torneios de categorias de base masculinos e femininos, amistoso e na liga da Malásia. Jason Cowley tentará fazer história emplacando um gol de futebol non-league, como os ingleses chamam as divisões abaixo das quatro primeiras divisões, organizadas pela Premier League e pela Football League.