Em nove minutos, muita coisa pode acontecer em um jogo de futebol. Por mais que seja difícil, cinco gols podem acontecer em um intervalo tão curto. Levando em consideração o duelo entre campeão e vice da última temporada, ver os cinco tentos saírem apenas de um lado se torna ainda mais raro. No entanto, o que a Allianz Arena viveu nesta terça é um feito único. Robert Lewandowski precisou de apenas oito minutos e 57 segundos para balançar as redes cinco vezes. Transformou a dura derrota para o Wolfsburg em virada e goleada do Bayern por 5 a 1. Façanha que nunca tinha acontecido na história das quatro grandes ligas europeias.

VEJA TAMBÉM: Um golaço de Vidal ajudou o Bayern a vencer o Darmstadt sem nem precisar de zagueiros

Somando todos os jogos válidos pelos campeonatos Alemão, Espanhol, Inglês e Italiano, nunca um jogador tinha marcado cinco gols em tão pouco tempo – segundo dados levantados pelo preciso @2010MisterChip. O mais rápido até então tinha sido Ladislao Kubala, que precisou do dobro de tempo, 19 minutos, para balançar as redes cinco vezes pelo Barcelona de 1952. Décadas de números que Lewandowski deixou para trás. Na Bundesliga, um jogador não marcava cinco gols desde 1991, quando Mario Götze sequer era nascido. Já a última vez que um jogador do Bayern tinha feito tanto foi em 1984, com Dietmar Hoeness. E o mais impressionante: o polonês havia saído do banco no início do segundo tempo, apenas cinco minutos antes de começar a fuzilar. Feito inédito para um reserva também nas quatro grandes ligas.

Durante o primeiro tempo, o Wolfsburg até pôde sonhar com a vitória – enquanto Lewandowski permanecia no banco e não iniciava o pesadelo. Diante do toque de bola do Bayern, os Lobos se fechavam muito bem na defesa, dando poucos espaços mesmo para as finalizações. E, quando Douglas Costa teve brechas para encher o pé, Benaglio salvou. Aos 26 minutos, os visitantes conseguiram dar sua primeira finalização na partida. Letal. Em contra-ataque perfeito, Caligiuri invadiu a área e encheu o pé para vencer Neuer. E o Bayern deu muita sorte de não tomar o segundo gol, em lance antológico de Guilavogui. Neuer saiu errado da área e teve que se arriscar em uma dividida na linha do meio-campo. A bola sobrou para o francês, que chutou do círculo central. A bola fez uma curva e, caprichosamente, triscou a trave. Por centímetros. Até o placar do estádio se iludiu e marcou o gol por engano.

A expressão de Guardiola depois do quinto gol diz muito
A expressão de Guardiola depois do quinto gol diz muito

Diante da atuação pouco agressiva do Bayern, Guardiola lançou mão de duas alterações na volta do intervalo. Saíram Bernat e Thiago Alcântara, para as entradas de Javi Martínez e Robert Lewandowski. E o polonês precisou de pouquíssimo tempo para mostrar ao treinador por que não deveria começar no banco de reservas. É verdade que a defesa do Wolfsburg abusou dos erros de marcação – Dante e Naldo estavam perdidos em meio ao bombardeio. Nada que tire os méritos do camisa 9 ao longo dos nove minutos incríveis que protagonizou na Allianz Arena.

VEJA TAMBÉM: Lewandowski faz três gols nos acréscimos e deixa Polônia perto da Eurocopa

Lewandowski anotou gols para todos os gostos, ressaltando principalmente o seu excelente posicionamento e a capacidade de finalização. Com a defesa do Wolfsburg adiantada, teve espaço de fora da área para marcar o primeiro. Fez o segundo em uma sobra de bola, enquanto o terceiro saiu após acertar a trave e Benaglio, estufando as redes na terceira tentativa. No quarto, Douglas Costa cruzou e, após desvio da defesa, o camisa 9 fuzilou. E guardou a melhor parte justamente para o último. De voleio, emendou de primeira, para encerrar o seu espetáculo.

Os cinco gols de Lewandowski saíram entre os 5:40 e os 14:38 do segundo tempo. O artilheiro precisou receber a bola apenas oito vezes no segundo tempo para massacrar o Wolfsburg. Finalizou sete vezes – três no terceiro gol – em aproveitamento próximo da perfeição. E até poderia ter feito o sexto, não fosse Ricardo Rodríguez, que salvou um chute em cima da linha. Depois dos nove minutos fantásticos, o Bayern seguiu atacando, mas não de maneira tão impetuosa. Benaglio ainda fez boas defesas para evitar os gols de Götze e Thomas Müller. Mas a noite era mesmo de Lewandowski. Apenas dele.

Com o resultado, o Bayern mantém os 100% de aproveitamento na Bundesliga e espera o Borussia Dortmund entrar na rodada para saber se manterá a liderança. Entretanto, além dos três pontos, a goleada se faz mais importante pelas mensagens que transmite. Primeiro, pela maneira como os bávaros trucidaram o Wolfsburg, atual vice-campeão alemão e que os havia goleado por 4 a 1 na temporada passada. Depois, pela grande forma de Lewandowski. Reafirma ainda mais a qualidade do polonês como um dos melhores centroavantes do mundo.