Cinco bons duelos para ficar de olho nos 16-avos de final da Liga Europa

Bem mais imprevisível que a Champions, a Liga Europa traz ótimos confrontos no início dos mata-matas, cheios de times de peso

Enquanto a Liga dos Campeões continua restrita a um grupinho de clubes, a Liga Europa se coloca como torneio mais imprevisível do continente. Apesar de um favorito ou outro pintar nos mata-matas, é praticamente impossível cravar o campeão do torneio, ou até mesmo confiar em apostas rumo às fases mais agudas. E o melhor é que o nível dos confrontos eliminatórios tem melhorado ano a ano. Com a falta de interesse pela taça se tornando algo cada vez menos discutido, por tudo que a conquista oferece, a disputa ganha peso. Basta ver aquilo que o sorteio proporcionou para estes 16-avos de final. Serão vários confrontos de ótimo nível. Abaixo, destacamos cinco que merecem atenção especial a partir desta quinta, com os jogos de ida:

Borussia Dortmund x Atalanta

Entre os 16 jogos, talvez aquele que combine elementos mais interessantes. Não são apenas dois clubes tradicionais que se enfrentam, mas o momento também contribui para que os holofotes aumentem. O Borussia Dortmund vem de um desempenho decepcionante na Liga dos Campeões, é verdade. Apesar disso, entra na Liga Europa tentando se colocar na prateleira principal. Considerando a temporada perdida na Bundesliga, o torneio continental se torna a grande chance de título. E mesmo com todos os pesares, há qualidade no elenco para sonhar. A chegada de Michy Batshuayi, muito bem neste início, serve de confiança. Do outro lado, a Atalanta fez uma das campanhas mais notáveis da fase de grupos da Liga Europa, ao terminar na primeira colocação de uma chave dificílima, e invicta. A equipe de Gian Piero Gasperini segue rendendo bem e tem qualidade individual para derrubar os aurinegros, o que não seria nenhuma surpresa. Papu Gómez costuma fazer estrago, como bem se viu contra o Napoli na Copa da Itália. Será um confronto bacana de se acompanhar também nas arquibancadas, pelas torcidas apaixonadas.

Östersunds x Arsenal

A maior disparidade entre os 16 embates acontece aqui. O Arsenal possui o seu time recheado de medalhões, ainda que Pierre-Emerick Aubameyang não possa ser inscrito. Depois de tantos anos disputando a Champions, vê a Liga Europa como uma tábua de salvação até pela vaga que oferece ao campeão, caso fique mesmo fora do Top Four da Premier League – o que se torna cada vez mais evidente. Não será surpreendente se Arsène Wenger vier com tudo pela taça continental – algo, aliás, bem raro no museu dos Gunners. O passado depõe a favor, considerando que a última participação na antiga Copa da Uefa rendeu a campanha até a final, perdida contra o Galatasaray em 2000. E se por nome os londrinos pegaram os adversários mais fáceis deste mata-mata, é bom não se enganar pelas aparências. O Östersunds vai surpreendendo desde as primeiras fases classificatórias e se saiu muito bem no grupo, mesmo encarando clubes tradicionais como Athletic Bilbao e Hertha Berlim. Possui uma equipe extremamente competitiva, que sabe acuar o adversário quando necessário e ameaçar nos contra-ataques. Além do mais, é comandada por um inglês, o competente Graham Potter, que ganha a vitrine de aparecer em seu país e, quem sabe, voltar para casa com uma boa oportunidade de emprego.

Lyon x Villarreal

Dois clubes de ligas nacionais importantes, que elevam o nível da Liga Europa. O Lyon já experimentou grandes momentos na temporada, mas as oscilações de um time jovem deixam sua ponta de desconfiança. Falta um pouco mais de consistência, o que se reflete na tabela da Ligue 1, perdendo fôlego na briga por um lugar entre os três primeiros. Por isso mesmo, o torneio continental se torna ainda mais interessante. E pelo potencial ofensivo dos Gones, é melhor tomar cuidado. Basta lembrar a boa campanha que fizeram em 2016/17, com alguns jogaços, até a eliminação para o Ajax. Do outro lado, o Villarreal aparece em quinto no Espanhol. Pode não ser o desempenho dos sonhos, mas se coloca já acima das expectativas, considerando o elenco abaixo de boa parte dos concorrentes. Manter o sonho na Liga Europa é possível, sobretudo pela tarimba de alguns jogadores, como Carlos Bacca. Promete ser um duelo bem aberto.

Napoli x RB Leipzig

O desafio entre Itália e Alemanha se repete também mais ao sul. Por time, sem dúvidas o Napoli se coloca como uma aposta clara na Liga Europa. O problema será a maneira como os celestes lidarão com a frente continental, considerando toda a exigência de manter a disputa ponto a ponto com a Juventus na Serie A. Talento não falta, mas o elenco não é dos mais recheados assim, e os problemas de lesão assombram a torcida no San Paolo. De qualquer maneira, os jogadores mantêm publicamente as ambições pela taça que marcou a trajetória de Diego Maradona nos anos 1980. Terão a primeira prova de fogo ante o RB Leipzig. Abaixo da crítica na Liga dos Campeões, os Touros Vermelhos também não impressionam tanto na Bundesliga quanto na temporada passada, apesar de recuperarem a segunda colocação. É um grupo jovem, que sofre seus deslizes, mas tem potencial para crescer no torneio europeu. Olho no que podem fazer nomes como Timo Werner, Emil Forsberg, Naby Keita, Bruma e Jean-Kevin Augustin. Para um salto em suas carreiras, é uma oportunidade de mostrar serviço.

Celtic x Zenit

Entre os confrontos da ligas secundárias, sem dúvidas é o que reúne mais peso. O Celtic mais uma vez conviveu com a sensação incômoda de ser o saco de pancadas na Liga dos Campeões. Tradição e paixão já não são mais suficientes dentro da disparidade do mercado europeu. De qualquer maneira, ganhar nova chance na Liga Europa já satisfaz. E considerando o marasmo do Campeonato Escocês, no qual faltam desafios, o time de Brendan Rodgers pode focar no cenário continental, mesmo que a vantagem no nacional não seja tão grande desta vez. O problema é encarar o Zenit, que mais uma vez vem de grande campanha na fase de grupos, o melhor entre os 48 participantes, e está distante de alcançar o Lokomotiv Moscou no Campeonato Russo. Roberto Mancini segue à frente dos celestes, com vários jogadores que miram a Copa, especialmente os argentinos. Veem na competição internacional o caminho para ganhar as manchetes e chegar aos ouvidos de Jorge Sampaoli.