As quartas de final da Copa da Liga Francesa trouxeram uma zebra grande. A maior possível. O Paris Saint-Germain saiu na frente contra o Guingamp, lanterna do Campeonato Francês, mas levou a virada e, com a derrota por 2 a 1, foi eliminado de uma copa francesa pela primeira vez desde janeiro de 2014, quando saiu da Copa da França ao perder do Montpellier, por 2 a 1.

LEIA MAIS: Buffon: “Me contratar foi um dos melhores negócios da história da Juventus”

Desde então, eram nove conquistas seguidas de copas francesas, quatro da Copa da França e cinco da Copa da Liga Francesa. Eram 44 vitórias consecutivas. Pela primeira vez desde a temporada 2013/14, a Tríplice Coroa nacional está fora do alcance do Paris Saint-Germain. E olha que jogou todo mundo.

Thomas Tuchel colocou Verratti, Cavani e Daniel Alves no banco de reservas, mas os três entraram no decorrer da partida. A escalação titular teve Marquinhos no meio-campo ao lado de Draxler, com Moussa Diaby, Neymar, Di María e Mbappé na linha ofensiva. Teoricamente o bastante para bater o adversário que levou 3 a 1, pela Ligue 1, em agosto.

A prática foi mais cruel para o PSG. O goleiro Karl Jonhsson, do Guingamp, não precisou fazer defesa difícil no primeiro tempo. Houve apenas duas boas situações. Uma bem no começo, quando Mbappé recebeu lançamento na pequena área e tentou encobrir o arqueiro, e outra em que Neymar encontrou Diaby, livre, pela esquerda. Mas o chute do jovem francês foi bem torto.

Um minuto depois de Marcus Thuram perder pênalti que colocaria o Guingamp à frente, Neymar abriu o placar de cabeça, aproveitando perfeito cruzamento de Meunier. Estava leve o apito do árbitro porque, aos 32 minutos do segundo tempo, ele anotou outra penalidade a favor dos visitantes. Desta vez, foi Yeni N’Gbakoto quem assumiu a responsabilidade, e ele não decepcionou: 1 a 1.

Nos acréscimos, veio o crime. Outro pênalti a favor do Guingamp, e Thuram se redimiu do erro anotando o gol da grande zebra da rodada da Copa da Liga Francesa. O líder do Campeonato Francês foi derrotado, em casa, pelo lanterna e está fora da competição.