Embora tenha ficado fora da Copa do Mundo, a Venezuela avançou mais um pouco no futebol mundial. A campanha nas Eliminatórias foi a melhor da história Vinotinto no que se refere a aproveitamento e, mesmo que a chance tenha passado, o país já pode dizer: se desenvolve ano a ano e tem um estilo de jogo próprio: de protagonismo e futebol ofensivo. Tanto é que muitos venezuelanos querem que César Farías deixe o comando da seleção por ter sido muito cauteloso em alguns jogos.

Justiça à parte, a ideia de ser protagonista no esporte mais praticado no mundo é seguida também nos clubes, já que as principais conquistas dos últimos anos tem sido dos times mais ofensivos. E neste sentido três treinadores se destacam: Daniel Farías, irmão do selecionador da Venezuela, Eduardo Saragó e José de Jesús “Chuy” Vera. Os dois últimos tem histórias que se entrelaçam e os definem…

Nesta semana o Deportivo Lara anunciou a contratação de Jesús Chuy Vera para comandar o time no que resta do Clausura 2013 e no Apertura 2014. Aos 42 anos, Chuy tentará justamente repetir o sucesso de Eduardo Saragó na equipe do Lara. Na temporada 2011/12 o time foi o melhor do país com sobras, desfilando um futebol ofensivo e até certo ponto inconsequente, mas capaz de somar 25 vitórias, 8 empates, 1 derrota, 71 gols pró e 24 gols contra.

Foi mais ou menos o que fez Chuy Vera no Zamora de 2011, quando conduziu o clube da zona de rebaixamento do segundo semestre de 2010 para o título do primeiro semestre de 2011, em uma campanha invejável de 13 vitórias, 3 empates 1 derrota, 37 gols marcados – melhor ataque – e 10 sofridos – melhor defesa.

Zamora que também está ligado à história de Eduardo Saragó. Afinal de contas, em 2008, quando ambos os treinadores iniciavam suas carreiras, era no Zamora que Saragó, então com 26 anos, começava a trabahar como técnico. A passagem não foi digna de figurar na história, mas permitiu que Eduardo alcançasse o Deportivo Petare e então o Lara.

Mas embora tenham semelhanças nos clubes pelos quais passaram, na pouca idade e no estilo de futebol, o momento dos dois técnicos é bastante distinto. Eduardo Saragó está em alta. Depois da excelente campanha com o Lara, ele chegou ao principal time do país e tem conseguido resultados decentes. O Caracas é o segundo colocado no campeonato e tem totais chances de chegar ao título.

Já Jesús Chuy Vera tenta se reerguer. Depois do título com o Zamora o treinador foi contratado pelo respeitável Deportivo Táchira, mas não foi bem sucedido. Sem mercado, foi para o modesto Estudiantes de Mérida, onde conseguiu o objetivo de se manter na primeira divisão.

Justamente neste domingo os dois vão se encontrar dentro dos gramados na partida entre Deportivo Lara e Caracas no Metropolitano de Lara, em Cabudare. Longe de ser uma rivalidade, será uma chance de consolidação, renascimento e celebração ao futebol venezuelano, que pouco a pouco vai estabelecendo uma identidade própria: ofensiva e calcada mais no trabalho dos treinadores que na qualidade dos atletas.

Mais venezuelanas

– O Deportivo Anzoátegui tem 25 pontos e lidera o Apertura após 11 jogos. O Caracas é o segundo com 24 pontos, seguido pelo Carabobo, com 23. O Deportivo Lara é o 11º, com 12 pontos.

Chilenas

– Confusão no Apertura chileno. No último domingo o clássico entre Universidad de Chile e Universidad Católica foi interrompido no segundo tempo depois de Fernando Meneses ser atingido por um rolo de serpentina na cabeça. A Católica vencia por 1 a 0 e o árbitro Enrique Osses entendeu que a partida não tinha mais condições de continuar. No dia seguinte a Federação definiu que jogo tinha que ser encerrado com vitória dos Cruzados. A decisão revoltou dirigentes da Universidad de Chile, mas não haverá revisão.

– O campeonato tem agora a Católica na liderança com 27 pontos, seguida pelo O’Higgins, com 24, Cobreloa, com 21, Cobresal, com 20, e Universidad de Chile, com 19.

Colombianas

– Na Colômbia o Atlético Nacional perdeu para o Boyacá Chicó usando seus reservas, mas segue absoluto na liderança do Finalización. Os verdolagas têm 36 pontos contra 28 do Santa Fe. Os outros que hoje estariam classificados aos playoffs são Deportivo Cali, Junior, Deportivo Pasto, Millonarios, La Equidad e Once Caldas.

Equatorianas

– No Equador o Emelec assumiu a liderança e parece pronto para mais um título. Depois de bater a concorrente Universidad Católica por 7 a 0, a equipe de Guaiaquil goleou o Macará por 4 a 0 e chegou a 33 pontos. O Independiente é o segundo, com 30, seguido pela Católica, também com 30.

– Neste domingo teremos o grande clássico de Guaiaquil entre Emelec e Barcelona.

Uruguaias

– No Uruguai segue a briga entre Nacional, Danubio e River Plate pelo título do Apertura. O Nacional venceu o Juventud por 3 a 1 e lidera, com 21 pontos. O Danubio venceu o Defensor Sporting por 3 a 1 e tem 20 pontos. Já o River Plate empatou por 1 a 1 com o Wanderers e ficou com 19, na terceira posição.

– O Peñarol segue mal das pernas. Agora com Jorge Gonçalves como técnico, a equipe aurinegra perdeu para o Cerro por 1 a 0 e é apenas a 14ª em um campeonato com 16 times.

Paraguaias

– No Paraguai segue o domínio do Cerro Porteño. Com o empate por 1 a 1 contra o Sol de América, a equipe chegou a 37 pontos em 15 jogos, nove a mais que o Deportivo Capiatá, que é o segundo, mesmo com a derrota por 4 a 2 para o Sportivo Luqueño.

– O Libertad perdeu para o Sportivo Carapeguá e é o quinto, com 23 pontos. Já o Olimpia segue em péssima fase após a Libertadores. O Decano perdeu para o Nacional e é o décimo entre 12 times, com 14 pontos.

Peruanas

– No Descentralizado 2013 o Sporting Cristal venceu o Pacífico por 5 a 0 e lidera a Liguilla A com 65 pontos. O Real Garcilaso, que empatou por 2 a 2 com a Universidad César Vallejo, também tem 65.

– Já na Liguilla B o Universitario bateu o UTC de Cajamarca por 2 a 1 e tem 68 pontos contra 59 do próprio UTC.

Bolivianas

Na Bolívia o Bolívar mantém a liderança. A equipe empatou por 0 a 0 com o Sport Boys e chegou a 24 pontos em 12 jogos. Já o The Strongest perdeu por 4 a 2 para o Universitario e é o segundo, com 22.