Choupo-Moting de novo agradece ao destino: sem custos, chega para ser o reserva de Lewa no Bayern

Eric Maxim Choupo-Moting não pode reclamar dos rumos de sua carreira. Rodado na Bundesliga, o atacante não evitou o rebaixamento do Stoke City na Premier League 2017/18, mas ganhou uma chance de entrar na rotação do Paris Saint-Germain. O camaronês permaneceu duas temporadas no Parc des Princes como um reserva pouco utilizado, mais lembrado pelos gols perdidos. E, mesmo se tornando decisivo na Champions League, não teve seu contrato com os parisienses renovado. Mesmo assim, o veterano de 31 anos “cai para cima”. Volta à Alemanha e assina, sem custos, com o Bayern de Munique por uma temporada.

Choupo-Moting é um negócio de ocasião ao Bayern. O clube precisava de um atacante reserva para Robert Lewandowski não é de hoje, para não jogar na fogueira todas as vezes o promissor Joshua Zirkzee. O começo de temporada, sem uma preparação adequada, também indicou como o elenco de Hansi Flick é relativamente curto ao grau de exigência que terá. Sem custos e com largo histórico na Bundesliga, Choupo-Moting surgiu como alternativa.

Esperava-se uma opção melhor a Lewandowski, até pela projeção do Bayern e pela importância do polonês. Choupo-Moting fica aquém das expectativas nesse sentido. Em compensação, o camaronês alivia a pressão sobre Zirkzee e também não deve ficar muito descontente no banco de reservas. Não deverá se assemelhar com Sandro Wagner, claramente o reserva, mas que por vezes indicava a insatisfação com a falta de chances.

Nascido em Hamburgo, Choupo-Moting jogou a carreira praticamente inteira na Bundesliga. Profissionalizou-se pelo Hamburgo e atuou brevemente no Nuremberg, embora seus principais momentos tenham sido vividos no Mainz 05. Depois disso, teve relativo sucesso em seu início com o Schalke 04 e permaneceu em Gelsenkirchen por três anos. Só então se provou fora do país, com Stoke e PSG. Adaptação não será problema ao veterano que, afinal, dará o maior passo de sua carreira aos 31 anos.

A contratação de Choupo-Moting não deveria gerar expectativas. A não ser que Lewandowski se lesione, nem é nome para ser muito utilizado ao longo da temporada. É uma carta na manga, a partidas em que o clube precisará de alguém a mais na área ou nas quais optará por dar um descanso ao polonês. E, mesmo que o heroísmo do camaronês na Champions marque sua carreira, os bávaros esperam não ter que recorrer a isso.

Além de Choupo-Moting, o Bayern trouxe cinco reforços na atual janela: Leroy Sané, Alexander Nübel, Tanguy Nianzou, Marc Roca e Douglas Costa – anunciado há pouco e que logo mais ganhará texto aqui no site. Exceção feita a Sané, nenhum deles chega como titular e nem indica um salto em relação ao que o Bayern já tinha em suas escalações habituais. Mas a preocupação com o elenco é evidente e por isso passa o domínio dos bávaros nos próximos meses.