Giorgio Chiellini foi uma das novidades na lista de convocados de Roberto Mancini, divulgada na quinta-feira passada (27). Tendo sofrido com lesões na temporada passada e quase sem jogar, a lembrança é um aceno de que, recuperado, o veterano de 36 anos faz parte dos planos do técnico da seleção italiana. Em entrevista coletiva nesta segunda-feira (31), Chiellini admitiu a possibilidade de se aposentar após a disputa da Eurocopa em 2021, o que seria uma maneira “legal” de se despedir do futebol.

“Não sei, poderia ser legal assim. Não vou descartar. É difícil para mim imaginar o futuro”, afirmou o jogador ao ser questionado sobre a possibilidade de pendurar as chuteiras após o torneio continental.

Chiellini perdeu basicamente toda a temporada passada devido principalmente a uma lesão no ligamento cruzado anterior. Ao longo de 2019/20, fez apenas quatro jogos, todos pela Serie A. Se, por um lado, a convocação neste momento é um bom sinal, por outro ele precisará demonstrar em campo um bom nível em 2020/21 para ratificar sua posição como peça importante para a Euro. Este cenário agrada bastante ao zagueiro.

“Para falar a verdade, se eu ir para a Eurocopa, significa que estou de volta ao meu (melhor) nível. Ficaria feliz de ter um ano coroado ao ser protagonista na Eurocopa”, projetou, completando que, a essa altura de sua carreira, já não pode mais “fazer planos de longo prazo”.

“Não quero pensar no que virá depois disso. No ano passado, não joguei e não tive continuidade. Espero jogar o máximo possível e quero curtir o que farei nos últimos meses (da minha carreira).”

Chiellini vai para a sua 16ª temporada com a camisa da Juventus, tendo assinado com os bianconeri em 2004, mas passando um primeiro ano na Fiorentina antes de se juntar definitivamente ao time de Turim na campanha 2005/06. Neste período, venceu nove títulos de Serie A, além de quatro Copas da Itália.