O giro de trechos do livro de Giorgio Chiellini não para. As declarações mais recentes a serem divulgadas são em relação a Paul Pogba, do Manchester United. Desta vez, no entanto, nada de polêmica, mas, sim, elogios. O zagueiro da Juventus relembrou o período em que o francês se juntou à Velha Senhora, em 2012, chegando de graça após não renovar contrato com o Manchester United. Chiellini admite que, à primeira vista, achava que Pogba estava lá “só de passagem”.

“Achei que ele seria um dos vários que passam rápido pelo clube. Lembro de quando ele chegou. Três ou quatro dias depois do início da pré-temporada, meus companheiros e eu olhamos uns aos outros e dissemos: ‘Esse cara é muito bom’”, comenta em um dos trechos do livro Io, Giorgio.

Revelado pelo Manchester United, Pogba deixou o clube em 2012, aos 19 anos, assinando com a Juventus em seguida, diante da recusa de Alex Ferguson de aceitar os termos propostos por seu empresário, Mino Raiola, para a renovação. Em seu começo no time italiano, como recorda Chiellini, o francês sacrificou-se um pouco para dar liberdade a Pirlo no meio de campo, e o zagueiro lembra daquele período como um desperdício dos talentos de Pogba.

“Ele chegou com um passe livre do Manchester United, era muito jovem, e pensamos que ele era apenas mais um dos que passam rápido pelo clube. Um desses jogadores que os clubes usam para fazer negócios no mercado. Entretanto, ninguém esperava um campeão desses. O Paul se movia com um físico incrível, era mágico, impressionante. E olha que, nos primeiros jogos, ele jogou fora de sua posição, atuando na frente da defesa para liberar o Pirlo”, contextualizou.

“Porém, depois que pude conhecê-lo, ficou claro que aquela função o limitava. O Paul não podia abrir sua passada e liberar sua arrogância técnica e física, que é o que lhe permitiria se tornar o jogador box-to-box formidável que conhecemos”, encerrou Chiellini.

Depois de quatro anos na Juventus, Pogba retornou ao Manchester United, que desembolsou € 105 milhões em agosto de 2016 para “corrigir” a decisão anterior de não mantê-lo no clube. Desde então, Pogba sofre para ter sequências boas como as que viveu na Itália. O que não é surpresa alguma, observando o contraste de organização administrativa e mesmo técnica entre os dois clubes nos últimos anos.