O Chicago Fire anunciou nesta sexta-feira, 15, a contratação do meia argentino Nicolás Gaitán, que estava no Dalian Yifang, da China. O meia de 31 anos chega para preencher uma lacuna que existia na equipe, que buscava há tempos por um meia ofensivo. “Ele se encaixa muito bem conosco por sua versatilidade. Nós estamos muito empolgados por finalmente trazer um jogador com as suas qualidades para o nosso time”, disse Nelson Rodriguez, presidente do clube, em entrevista ao site oficial da MLS.

Mas para trazer o ex-jogador de Benfica e Atlético de Madrid, o Fire precisou de mais de um mês para efetivar a contratação. Isso porque o clube teve de seguir uma série de obrigações. Primeiramente, ao saber que o jogador se encontrava disponível no mercado, a equipe colocou Gaitán na Discovery List, que é uma ação obrigatória para os clubes da MLS. Esse dispositivo regulatório funciona da seguinte forma: sempre que um clube da liga deseja contratar um jogador que não possui contrato com a MLS, nem faz parte de determinados mecanismos de transferências da liga (como jogadores menores de 18 anos, jogadores da seleção nacional sub-20 ou jogadores dispensados por outra equipe), é necessário incluí-lo em uma lista de “descobertas”. Um processo que parece complicado, mas basta enviar a lista para a direção da liga. Entretanto, se o jogador que se deseja já está na lista de descobertas de outro clube, é preciso dar preferência a quem listou o atleta antes ou pagar uma taxa de 50 mil dólares pela opção de fazer a oferta primeiro.

E Gaitán já estava listado pelo Seattle Sounders. O Fire se dispôs a pagar a taxa, mas os Sounders ainda tinham cinco dias para responder se aceitavam a oferta. Depois de resolvido este problema, o Chicago entrou em contato com Gaitán e com o clube chinês para iniciar uma negociação. O argentino havia sido contratado pelo Dalian Yifang há pouco mais de um ano, mas as contratações de Hamsik e Emmanuel Boateng fizeram a equipe ultrapassar o limite de quatro estrangeiros permitidos na Superliga Chinesa.

Ainda assim, o Fire teria outra questão pela frente. O clube já havia excedido o limite de jogadores destacados como “designados” para 2019, ou seja, atletas contratados com um salário acima do teto estabelecido pela liga. No caso do Chicago, são eles: Bastian Schweinsteiger, Nemanja Nikolic e Aleksandar Katai. A equipe, então, não poderia ultrapassar o valor de 1,5 milhão de dólares, somando salários e valor da transferência. O Chicago fez a oferta e teve de esperar algumas semanas até que o clube chinês aceitasse, sem ser necessário sequer pagar pelo jogador, que assinou um contrato de empréstimo até 2020, com opção de compra, para aí sim, Gaitán se encaixar na regra do jogador designado. 

“Para nós não foi uma negociação, porque não podíamos fazer mais. Nós sabíamos quais eram nossos limites, e quando os outros potenciais compradores desistiram, nós continuamos de pé”, explicou Nelson, que realizou todo este esforço para contratar Gaitán no intuito de fazer uma temporada bem melhor do que a anterior, quando foi apenas o décimo colocado da Conferência Leste. Na temporada atual, o início também não é muito promissor. Nos dois primeiros jogos, foram apenas um empate e uma derrota