O time feminino do Chelsea conseguiu uma grande contratação anunciada nesta quarta-feira: a atacante Sam Kerr, que estava no Chicago Red Stars, dos Estados Unidos, que assinou contrato de dois anos e meio. Ela anunciou que não voltaria ao Perth Glory e despertou interesse em vários clubes europeus. A australiana será uma das estrelas da Women’s Super League (WSL), uma das poucas ligas de futebol feminino completamente profissionais na Europa, e passa a jogar pelo Chelsea a partir de janeiro, quando a janela de transferências estará aberta.

No futebol feminino, é muito comum que as jogadoras joguem por duas ligas diferentes, por terem calendários distintos. Por exemplo, Kerr jogou pelo Perth Glory na temporada 2018/19, indo até a final. Depois, retornou ao Chicago Red Stars, onde fez uma ótima temporada.

O Chicago Red Stars chegou à decisão da NWSL, mas acabou derrotado pelo North Carolina Courage, de Debinha. A australiana, de 26 anos, foi a artilheira da liga americana, com 19 gols em 23 jogos, e anunciou que deixaria o seu clube. Queria se testar nas principais competição de clubes da Europa, a Champions League, que tem ganhado cada vez mais importância e divulgação.

A jogadora é uma artilheira nata: conquistou a artilharia, consecutivamente, da NWSL em 2017, 018 e 2019; na W-League, foi artilheira nas duas últimas temporadas, 2017/18 e 2018/19. Kerr é a maior artilheira da história das duas ligas com 69 gols na NWSL e 70 gols na W-League. Ela detém vários recordes: é quem mais fez gols em uma só temporada nas duas ligas, o maior número de gols em uma partida da NWSL e o mais rápido hat-trick da W-League.

“A WSL é a melhor liga na Europa”, afirmou Kerr em sua primeira entrevista ao site do Chelsea. “Eu quero o sucesso do time e eu não quero que isso venha fácil. Eu sinto que o Chelsea tem construído algo especial ao longo dos anos e eu quero ser parte disso. Eu quero levantar algumas taças”.

Ela contou sobre o que a levou a assinar pelo Chelsea. “Foi honestamente as relações que eu tive com as pessoas ao redor do clube, falar com Emma [Hayes] foi realmente a principal coisa. Eu sinto como se eu pudesse confiar nela e eu sinto que o clube é fazer tudo que for possível para me fazer feliz e fazer a transição mais fácil possível”, contou a jogadora.

“É empolgante. Eu queria vir para o clube e Emma Emma ganhou minha confiança muito rapidamente e isso é realmente importante para mim. Ele já está no meu pé sobre algumas coisas e é isso que eu quero, eu vim aqui para me tornar uma jogadora melhor e sim, eu estou empolgada”, afirmou Kerr.

“Houve partes [da transferência] que foram difíceis. Provavelmente a parte mais difícil foi deixar os amigos e os Estados Unidos, porque eu criei uma casa por lá, mas era tempo de fazer uma mudança. E uma vez que coloquei os olhos na Europa, foi uma decisão fácil escolher o Chelsea como clube”, continuou a jogadora.

“Sim, é emocionante. Clubes como este são os maiores do mundo, por isso é uma mudança emocionante, mas também que deixa um pouco nervosa. Vai ser diferente e estou empolgada com o desafio”, afirmou.

“Primeiro, quero ganhar a liga e me qualificar para a Champions League e partir daí. Há coisas como a Copa da Inglaterra, mas para mim o mais importante é vencer a liga e se classificar para a Champions League”, destacou a atacante.

O Chelsea é o atual líder da WSL, com 13 pontos em cinco jogos. Vem seguido bem de perto por Arsenal, atual campeão e time da artilheira da última temporada, a neerlandesa Vivianne Miedema, que fez 22 gols. O Chelsea precisa estar entre os dois primeiros para ir à próxima Champions League. O Chelsea tem dois títulos da Super League e espera chegar ao terceiro nesta temporada.

Standings provided by Sofascore LiveScore