O Chelsea anunciou a contratação de Frank Lampard como seu novo técnico. Aos 41 anos, o ídolo e maior artilheiro da história do clube, exercerá agora uma função fora de campo que é alvo de muita pressão. Ele será o sucessor de Maurizio Sarri, que deixou os Blues para ir ao Juventus. Lampard completou as formalidades para se tornar o novo comandante nesta quinta-feira. E terá um imenso desafio pela frente.

É um movimento de coragem do Chelsea escolher Lampard para ser o seu treinador. Primeiro, porque o clube não costuma ser muito paciente com seus técnicos, mas desta vez terá um ídolo no cargo e, assim, demiti-lo certamente geraria um desgaste imenso. Nas últimas 10 temporadas, foram nove técnicos diferentes. A vida dos profissionais nessa posição no clube não costuma ser longa.

Lampard sabe bem disso, porque é parte dessa história como jogador. Havia o grupo chamado de “senadores” e um vestiário que é tido como um dos mais difíceis da Europa para o técnico trabalhar. Nenhum dos antigos senadores ainda está na ativa, ao menos não em campo. Lampard se tornou técnico e Peter Cech, que se aposentou ao final da temporada 2018/19, curiosamente em uma acachapante derrota para o Chelsea na final da Liga Europa, acertou para voltar ao clube como dirigente. São dois senadores, mas desta vez em cargos diretivos.

É também um movimento corajoso porque Lampard tem pouca experiência. Mal terminou a carreira de jogador, em 2016, e foi se formar como técnico. Foi escolhido para dirigir o Derby County em 2018 e tem apenas uma temporada nessa nova função. Ainda parece pouco tempo para avaliar qual é a sua capacidade, embora o trabalho no Derby County tenha sido inegavelmente muito bom.

Segundo o Guardian, Lampard chegou ao estádio Stamford Bridge nesta quarta-feira para assinar um contrato de três anos com salário de aproximadamente £ 4 milhões por temporada. O Derby County, clube que Lampard levou aos playoffs na sua única campanha como treinador, receberá £ 4 milhões como compensação pela quebra do contrato que tinha com o ex-meio-campista. Além de Lampard, outros dois profissionais vieram junto com ele: o seu assistente, Jody Morris, e o preparador físico Chris Jones.

Lampard recebeu garantias do dono do Chelsea, Roman Abramovich, que ele terá tempo para trabalhar em um clube operando com um embargo de transferências que potencialmente irá se estender até a próxima temporada, já que serão duas janelas sem poder contratar. O clube já trouxe o americano Christian Pulisic, do Borussia Dortmund, contratado em janeiro e emprestado ao Dortmund até o fim da temporada 2018/19. Também efetivou a contratação de Mateo Kovacic, que estava emprestado do Real Madrid.

O Chelsea perdeu Eden Hazard, vendido ao Real Madrid e vários jogadores voltaram ao clube depois de empréstimos. Lampard já expressou a sua vontade de aproveitar o talento da base do clube, uma das mais bem-sucedidas da Inglaterra. Os Blues conseguiram renovações de contrato importantes com jogadores jovens, como Ruben Loftus-Cheek e Callum Hudson-Odio, jovens com potencial de seleção inglesa.

“Eu estou imensamente orgulhoso de retornar ao Chelsea como técnico. Todo mundo sabe do meu amor por este clube e a história que nós compartilhamos, contudo, meu único foco é o trabalho em mãos e me preparar para a temporada adiante. Eu estou aqui para trabalhar duro, trazer mais sucesso ao clube e eu mal posso esperar para começar”, afirmou Lampard.

“Nos dá um grande prazer dar as boas-vindas a Frank de volta ao Chelsea como técnico. Frank tem um conhecimento e entendimento fantástico do clube e na temporada passada ele demonstrou que é um dos mais talentosos jovens técnicos no futebol”, disse Marina Granovckaia, diretora do Chelsea.

“Depois de 13 anos conosco como jogador, onde ele se tornou uma lenda do clube e o nosso maior artilheiro, nós acreditamos que é o momento perfeito para ele voltar e estamos encantados que ele fez isso. Nós iremos fazer tudo que pudermos para garantir todo o apoio que ele precisa para ter um grande sucesso”, declarou a dirigente dos Blues.

“Eu gostaria de dar um agradecimento especial a Mel Morris [dono e presidente do Derby], os jogadores, funcionários e todo mundo que está associado ao Derby County. Tem sido uma experiência fantástica para mim e eu me sinto privilegiado em ter dirigido um clube tão prestigioso. Acima de tudo, eu quero agradecer aos torcedores que apoiaram a mim e ao time desde o dia que eu cheguei ao clube. Eu desejo a todos a melhor sorte para seguir em frente”, disse ainda Frank Lampard.

Lampard vai comandar o time na pré-temporada e iniciará com uma viagem à Irlanda, onde enfrentará o Bohemians, na próxima quarta-feira. Depois, joga contra o St. Patrick’s Athletic três dias depois. Há jogos amistosos marcados com o Kawasaki Frontale, do Japão, e Barcelona. O seu primeiro jogo de Premier League será já um clássico: Manchester United, no Old Trafford, no dia 11 de agosto. Três dias depois, joga a Supercopa da Uefa contra o Liverpool em Istambul.

O favorito para suceder Lampard no Derby County é Philipp Cocu, ex-jogador holandês e ex-treinador do PSV e esteve no comando do Fenerbahçe na última temporada, mas acabou demitido pela má campanha do time. O Derby jogará a segunda divisão inglesa na próxima temporada.