Nos acostumamos a ver o Chelsea como um clube gastador de dinheiro desde que Roman Abramovich tornou-se o dono do clube, em 2003. Contratações milionárias, estrelas, elencos recheados de boas opções até no banco. Só que esses dias acabaram, segundo o técnico José Mourinho. Ou, ao menos, não mais como antes. O treinador dos Blues disse que o clube agora é mais vendedor do que comprador.

HANGOUT: Quem fez o melhor mercado de transferências?

Quando perguntado se o Chelsea poderia quebrar o recorde de transferências que o Manchester United estabeleceu ao contratar Ángel Di María, ele foi enfático. “Chelsea não, com certeza, porque o Chelsea está trabalhando em relação ao Fair Play Financeiro. Nós estamos ganhando dinheiro para termos condição de gastar dinheiro. Em cada janela de transferências, o Chelsea está perdendo jogadores, está vendendo jogadores”, afirmou o treinador. “No inverno [janeiro de 2013], nós vendemos Mata; no verão [julho/agosto], vendemos David Luiz e Lukaku. Então o Chelsea neste momento não é um gastador. O Chelsea neste momento está ganhando mais dinheiro em transferências do que gastando”, justificou.

De fato, Mourinho tem razão. Apesar das contratações de Diego Costa (€ 38 milhões), Cesc Fàbregas (€ 33 milhões), Filipe Luís (€ 20 milhões) e Loic Remy (€ 13,2 milhões), vendeu outros como David Luiz (€ 49,5 milhões), Romelu Lukaku (€ 35,36 milhões), Demba Ba (€ 6 milhões), Patrick van Aaholt (€ 2 milhões), além de recursos vindos de empréstimos. No total, arrecadou € 97 milhões, enquanto gastou € 106,7 milhões. A balança até ficou no vermelho, mas por pouco. Muito pela contratação de Remy, já no fim da janela de transferências.

Mourinho acredita que o Fair Play Financeiro é bom, mas que dá uma vantagem aos times maiores, com mais torcedores e arrecadação. “Quando a Uefa decidiu pelo Fair Play Financeiro, eles estavam tentando fazer com que todo time tenha possibilidades iguais”, afirmou. “Mas a realidade é que os grandes times, os clubes com mais anos no topo e com base de torcedores maior ao redor do mundo, com mais receitas, são os que continuam sendo os maiores gastadores”, afirmou. “Então Real Madrid, Barcelona, Bayern, Manchester United, todos times gigantes, eu acho que eles têm uma vantagem”, continuou. “Mas no Chelsea estamos felizes com o modo como estamos fazendo as coisas, com esse grande equilíbrio entre receitas e o dinheiro que gastamos. Então, estamos felizes com o perfil de clube que somos, nós não queremos mudar”, afirmou.

Veremos nos próximos mercados qual será o comportamento do Chelsea com relação ao mercado de transferências. Mas se essa política do Chelsea se mantiver como Mourinho está falando, pode ser uma boa notícia a quem quer comprar jogadores do clube. Aliás, se alguém quiser já em janeiro, pode ser uma boa começar a juntar as economias.

MERCADO: 20 jogadores sem clube que ainda estão livres para negociar

LEIA TAMBÉM: Estudo comprova que mercado está mesmo inflacionado