Conforme o fim das eliminatórias para a Copa de 2014 se aproxima, o cerco vai se fechando na Europa. Poucas seleções conseguiram abrir uma margem muito grande para os vice-líderes, outras vão ficando perto da repescagem. Nesse contexto, também já temos gente acenando com o adeus às chances de estar no Brasil no ano que vem.

Separamos em três grupos os países que já estão próximos de garantir sua presença no Mundial, os que devem encarar repescagem e as que já estão fora do páreo.

Grupo verde (quase lá)

A Holanda está 100% nestas eliminatórias. Com seis vitórias em seis partidas e 18 pontos somados, a Laranja mecânica nada de braçada rumo à Copa de 2014. Marcando 20 e sofrendo apenas dois gols, o time treinado por Louis Van Gaal atropelou os adversários até aqui.

Quem vai tão bem quanto é a Alemanha, que soma 16 pontos, com cinco vitórias e um empate, justamente o jogo maluco contra a Suécia, que terminou em 4 a 4. Os alemães apresentam alto nível técnico e impressionam num grupo difícil ao lado dos suecos, da Irlanda e da Áustria.

Em boa fase, a Itália completa o grupo verde, com 14 pontos na chave B. Acompanhada de perto pela Bulgária, com 10, a  equipe de Cesare Prandelli ficou apenas no empate com a República Tcheca e perdeu uma chance de abrir boa margem para os vice-líderes. Tudo deverá ficar mais claro (ou embaralhado) na próxima rodada, quando haverá confronto direto entre os dois. Aí, meu amigo, os homens vão ser separados dos meninos.

Grupo amarelo (grandes chances de repescagem)

Integrando o grupo que deverá enfrentar o drama da repescagem, estão Croácia, Inglaterra e Portugal. Os croatas perderam em casa para a Escócia, já eliminada, e deixaram a Bélgica escapar na liderança.  Somando 16 pontos, os axadrezados estavam brigando ponto a ponto com os belgas e aparentemente ficarão para decidir a vida em dois jogos de vida ou morte. Falando nisso, o próximo jogo é contra a Sérvia, em Belgrado.

A Inglaterra ainda não conseguiu encontrar uma regularidade na competição. Ganha uma aqui, empata outra ali e continua atrás de Montenegro. São apenas dois pontos atrás dos eslavos e um jogo a menos. Com a Moldávia pela frente, os ingleses são francos favoritos, mas um vacilo poderá ser crucial na caminhada até a Copa.

Outro que ainda não convenceu foi Portugal. São dois pontos a mais do que a vice líder Rússia no grupo F, com o atenuante de já ter feito duas partidas além dos russos. A irregularidade dos principais jogadores tem complicado os lusitanos nessa briga. Superando uma sequência de três jogos sem vitória, Cristiano Ronaldo e seus colegas ainda estão devendo muito.

Grupo vermelho (é hora de dar tchau)

Dinamarca e Turquia estão com quatro pontos de desvantagem relação aos segundos colocados de suas chaves. Numa competição com pouquíssimo espaço para erros, essa distância pode ser irreversível. São muitas as variáveis para que as duas seleções se salvem ou belisquem sequer uma vaguinha na repescagem.

Não que isso deva ser tratado como grande decepção, já que foram chaves dificílimas para ambas. Os daneses (6 pontos em 5 jogos) encararam Itália, República Tcheca e Bulgária, enquanto os turcos (7 pontos em 6 partidas) afundaram contra Holanda, Hungria e Romênia.

Gareth Bale também não virá ao Brasil. Gales não tem mais nenhuma chance de classificação e conseguiu apenas seis pontos em seis jogos. Num grupo em que Bélgica e Croácia dispararam na frente sem dar chances aos outros concorrentes, ficou mesmo difícil o pessoal galês ser bem sucedido.