Do mar Mediterrâneo à África central, da costa atlântica da Mauritânia, extremo-oeste africano, até o mar arábico, no litoral do Omã. Além de Somália e Djibuti. Este é o mundo árabe, que possui cerca de 325 milhões de habitantes, e é o segundo maior complexo lingüístico do planeta, atrás da Rússia. Como forma de celebrar o futebol nessa região, foi criado em 1981 uma competição entre clubes.
Na época, chamada de Copa dos Campeões de Clubes Árabes, cujo primeiro vencedor foi o Al Shurta, do Iraque. Hoje, o nome oficial do torneio, desde 2003, é Liga dos Campeões Árabes, e a 24ª edição já começou!

São 32 clubes, metade do norte da África e metade do Oriente Médio, na Ásia. Só nesta primeira fase serão distribuídos quase meio milhão de dólares em prêmios aos participantes eliminados. O campeão embolsa 1 milhão e meio. Confira abaixo um ‘preview’ de todas as partidas da primeira fase e sinta o que os clubes asiáticos terão pela frente.

Moghreb Athletic Tétouan (Marrocos) x Al Wihdat (Jordânia)

Confrontos:
12/09 – Estádio Saniat Rmel, o ‘La Hípica”, em Tetouan, Marrocos (vitória do Al Wihdat, 4 a 0).
22/09 – Estádio Internacional de Amã, na Jordânia.

A equipe marroquina fundada por torcedores do Atlético de Madrid, da Espanha, nos anos 20, contratou 14 jogadores para encarar esta nova temporada.

Já o Al Wihdat, atual campeão da Jordânia, tem como novidade a contratação do goleiro Aamer Shafee, que passou por quatro clubes nos últimos três anos. O ‘tricolor do deserto’ tentará ter mais sorte que o rival doméstico Al Faisaly, vice-campeão na última edição do torneio. O clube de Amã já estreou humilhando o oponente: 4 a 0 fora de casa.

Al Talaba (Iraque) x USM Alger (Argélia)

Confrontos:
15/09 – Al Talaba Stadium, em Bagdá (vitória do USM Alger, 2 a 0).
30/09 – Estádio Omar Hammadi Stadium, em Argel.

Os ‘espertos’, como é simpaticamente chamado o time iraquiano, não fez jus ao apelido e foi surpreendido em casa na primeira partida do confronto: 2 a 0 para os argelinos.

O USM Alger está completando 70 anos e depois de terminarem em 4º lugar o certame nacional, querem fazer o mesmo que os conterrâneos do ES Setif, que venceram a edição 2006/7 da Liga dos Campeões Árabes, sendo a primeira conquista de um clube da Argélia no torneio.

Al Majd (Síria) x Al Hilal (Sudão)

Confrontos:
17/09 – Abbassyyin Stadium, em Damasco, na Síria.
2/10 – Estádio do clube sudanês, em Omdurman.

Quarto colocado no último Campeonato Sírio, o Al Majd tentará lotar seu estádio, com capacidade para 45 mil pessoas, para bater o bom time do Al Hilal no primeiro jogo.

Já o clube sudanês, dirigido pelo brasileiro Heron Ferreira, vem fazendo coisas incríveis na Liga dos Campeões da África e detém o favoritismo mesmo se não atuar com a equipe principal.

Al Marreekh (Sudão) x Al Riffa (Bahrein)
 
Confrontos:
16/09 – Omdurman, no Sudão (vitória do Al Marreekh, 2 a 0).
28/09, Estádio Nacional do Bahrein.

O time sudanês, dirigido pelo carismático técnico alemão Otto Pfister, que comandou o Togo na Copa da Alemanha, no ano passado, ainda corre atrás do Al Hilal, que vem dominando de forma implacável no território doméstico. Mas a conquista do torneio intercontinental será bem vinda na galeria dos ‘diabos vermelhos’.

Já os atuais vice-campeões do Bahrein terão que contar com mais do que a paixão do seu presidente, o ‘Sheikh” Abdullah Bin Khalid Al-Khalifa, torcedor fervoroso dos ‘leões’.

ASC Mauritel Móbile (Mauritânia) x ES Setif (Argélia)

Confrontos:
16/09 – Nouakshott Stadium, extremo-oeste do continente africano (empate, 1 a 1).
1/10 – Estádio ‘8 de maio de 1945’, próximo as montanhas de Babor, em Setif, na Argélia.

O modestíssimo clube da Mauritânia terá a árdua missão de estrear logo contra o atual campeão ES Setif, que também levantou a taça de campeão nacional da Argélia e vive uma fase fantástica depois de anos ‘adormecido’.

Al Ahli (Iêmen) x Al Ittihad (Líbia)

Confrontos:
17/09 – Estádio Ali Muhesen, em Sana, capital do Iêmen.
1/10 – Estádio 11 de junho, em Tripoli, na Líbia.

Os vice-campeões do Iêmen tentarão surpreender o franco-favorito time do ‘Sheikh’ Abdul Majeed Salah. O clube líbio, treinado pelo competente sérvio Branko Smiljanic, só deixa escapar a vaga na fase seguinte se acontecer algo surpreendente e inusitado.

Kazma (Kuwait) x Wydad Casablanca (Marrocos)

Confrontos:
17/09 – Estádio Al-Sadaqua, no Kuwait.
1/10 – Em Casablanca, Marrocos, no estádio Mohamed V.

O clube marroquino fez algumas boas operações de mercado, repatriando o zagueiro El Brazi, do Istres, da França, e trazendo o bom atacante Hamza Yacef, do Kabylie, da vizinha Argélia.

O Kazma trouxe o treinador croata Marinko Kuljanin, e irá com força total para a Liga dos Campeões Árabes, já que o campeonato nacional só começará em novembro. Este será um dos choques mais duros da 1ª fase.

Société Immobiliéré de Djibouti (Djibouti) x Al Wahda (Arábia Saudita)

O exótico time do minúsculo Djibouti (pouco mais de 700 mil habitantes), leste da África, tentará um milagre para limitar os danos contra o mítico Al Wahda, um dos clubes sauditas mais antigos. “Os cavaleiros de Meca”, como é chamado o time dirigido pelo técnico alemão Theo Bucker, fecharam a última edição da Liga da Arábia Saudita, em 3º lugar.

Al Najaf (Iraque) x Chirazienne (Comores)

Com base localizada a 160 quilômetros ao sul de Bagdá, o Al Najaf , 3º colocado no Campeonato Iraquiano 2006/7, baterá de frente com o simpático Chirazienne, da ilha de Comores, no Oceano Índico. É o primeiro clube na história do país a jogar a competição. Será o cúmulo se os iraquianos perderem para os estreantes na Liga.

Mouloudia Club d´Oran (Argélia) x Al Arabi (Kuwait)

Confrontos:
17/09 – Ahmed Zabana Stadium, em Oran, costa mediterrânea da Argélia.
1/10 – Saba Al Salem Stadium, no Kuwait.

A equipe da ‘região magrebe’, norte da África, tem menos tradição que o Al Arabi, principal clube do Kuwait. Situado na capital kuwaitiana, o clube trouxe o técnico português José Rachão, que deverá fazer algo mais do que promover treinos ao estilo de seu sobrenome para tirar o clube do vermelho. A última temporada foi sofrível para o ´Líder’, como a equipe é conhecida no golfo.

Al Masry (Egito) x Al Taliya (Síria)

Confrontos:
17/09 – Port Said Stadium, Egito.
2/10 – Estádio Al Baladi, na Síria.

Partida imprevisível onde o egípcio Al Masry, que já teve a honra de ter como treinador o lendário craque húngaro Ferenc Puskas, tentará construir um placar dilatado em casa para segurar a pressão na Síria.

O Sporting Club Al Taliya, que disputa pela primeira vez o torneio, possui como arma a lealdade dos seus poucos, mas barulhentos torcedores.

Al Ansar (Líbano) x El Gaish (Egito)

Confrontos:
18/09 – Estádio municipal de Beirute, no Líbano.
1/10 – Estádio da Academia Militar do Cairo, no Egito.

Com 31 taças na sua galeria, o Al Ansar, principal clube libanês, tem mais substância e mística em relação ao El Gaish, pequena equipe da capital da terra dos Faraós. Motivados, os ‘vermelhos’ deverão despachar o time do técnico Talaat Youssef.

Athletic Bizertin (Tunisia) x Al Shabab (Arábia Saudita)

Confrontos:
18/09 – Estádio 15 de outubro, em Bizertin, cidade mais velha da Tunísia.
1/10 – Estádio Rei Fahad, em Riade.

O Al Shabab contratou o meia brasileiro Marcelo Camacho, ex-Botafogo, e que atuou no rival doméstico Al Hilal. Além do bom atacante Al Shamrani, e do nigeriano Eneramo, que veio do Esperance, de Tunis, portanto, conhece bem o oponente. Tudo isso para compensar a perda do excelente armador da seleção iraquiana, Nashat Akram, vendido ao futebol dos Emirados Árabes.

Já o clube tunisiano repatriou o experiente meio-campista Bouazizi, um dos melhores da posição que pintou no país nos últimos tempos e que estava no Gaziantepstor, da Turquia.

Numa síntese lógica, o favorito é o clube saudita.

Al Oruba (Omã) x Sportive Monastir (Tunísia)

Confrontos:
20/09 – Sur Sports Complex, no Omã.
2/10 – Stade Mustapha Ben Janet , próximo ao porto de Monastir, na Tunísia.

Os vice-campeões do Omã perderam seu principal jogador Ibrahim Al-Ghailani, que foi para o futebol do Kuwait. Órfão de sua maior estrela, a equipe terá que se desdobrar em campo para agradar seu dono, o carismático ‘Sheikh’ Nasser Al-Riyamy, desde criança torcedor fanático do clube da cidade de Sur.

Já o time ‘magrebe’ vendeu seus principais jogadores – inclusive o goleador cabo-verdiano Jerry Adriano – e não se reforçou a ponto de deixar satisfeitos os fiéis torcedores da cidade de Bizertin, um dos grandes pólos turísticos do país.

Al Shaab (Emirados Árabes) x Al Faisaly (Jordânia)

Confrontos:
21/09 – Estádio Khalid Bin Mohammed, em Sharjah, nos Emirados Árabes.
14/10 – Estádio Internacional de Amã, capital jordaniana.

O clube dos Emirados trouxe o técnico croata Zlatko Kranjcar, que esteve na última Copa dirigindo a seleção de seu país, mas falta ‘canja’ internacional. O ‘Comandoz’ raramente participa de competições fora do território nacional.

Por outro lado, o Al Faisaly tem mais de 60 títulos conquistados, é o atual vice-campeão do torneio, e aposta nos gols do atacante palestino Fadi Lafi, que fez misérias no Al Riffa, do Bahrein, e agora tentará manter os ‘azuis’ entre as equipes mais temidas do Golfo e, por que não, do mundo árabe.

Shabab Rafah (Palestina) x Raja Casablanca (Marrocos)

O time palestino terá a árdua missão de surpreender o Raja Casablanca, uma das potenciais do norte da África, e favorito absoluto para este duelo.

Os marroquinos, campeões do torneio em 2006, tem como principal novidade a contratação do defensor guineense Mohamed Sylla, que atuava no modesto futebol do Togo. O clube, adorado pela classe trabalhadora do país, será dirigido pelo francês Jean Yves Chay, um ‘expert’ em comandar equipes na região magrebe, norte do continente africano.

Premiação para os clubes (Em dólares)

Campeão – 1,500,000 $
Vice-campeão – 1,000,00 $
Quem chegar às Quartas-de-final – 400,00 $
Quem chegar às Oitavas-de-final – 300,00 $
Quem cair na 2ª fase – 60,000 $
Quem cair na 1ª fase – 30,000 $