Santi Cazorla recuperou-se. Da lesão que quase acabou com sua carreira precocemente, tornou-se um dos líderes da boa campanha do Villarreal. Mas tem um arrependimento: gostaria de ter se despedido melhor do Arsenal, clube que defendeu 180 vezes entre 2012 e 2018, e se tiver a oportunidade, tentaria corrigir esse erro.

“Não sei se é possível ou não, mas eu gostaria de jogar mais uma vez pelo Arsenal antes de me aposentar”, afirmou, em entrevista ao Goal. Aos 35 anos, seria difícil que isso acontecesse em partidas oficiais, mas nada impede amistoso de despedida, como vira e mexe clubes ingleses fazem para seus ex-jogadores. “O Arsenal foi o maior clube em que joguei. Fico orgulhoso de ter sido um jogador do Arsenal. Estou especialmente grato pelos torcedores do Arsenal que me apoiaram mesmo quando deixei o clube. Eu espero que possa fazer parte da família dos Gunners no futuro novamente”.

Mesmo que não seja como jogador, talvez Cazorla possa voltar em alguma outra função, como fez o seu ex-colega Mikel Arteta, atual treinador do Arsenal. “Sim, eu acreditava que ele se tornaria treinador no futuro. Mesmo quando eu jogava com ele, ele mostrava grane liderança no vestiário. Alguns dizem que é uma aposta do Arsenal, mas acredito que é um desafio razoável. Ele também trabalhou com Pep Guardiola. Acho que pode se tornar um grande treinador”, disse.

“Não é fácil par nenhum treinador agora ser que nem Wenger ou Ferguson. Não sei quanto tempo ele ficará no Arsenal, mas acredito que ele também pode ter uma grande carreira no Arsenal e é adequado ao Arsenal. Eu espero que Mikel lidere bem o Arsenal”, completou.

Cazorla tem nove gols em 20 jogos nesta temporada pelo Villarreal e poucos problemas físicos. “Se meu momento é bom, é graças ao meu clube. Muitas pessoas estão me ajudando e sou grato ao clube. Nosso objetivo na temporada é voltar às competições europeias. Fomos bem na Europa no passado e acredito que podemos ir bem de novo”, encerrou. O Villarreal está em nono lugar, com 28 pontos, a três da sexta colocação.