Os clubes turcos estão a todo vapor na busca de reforços para o retorno da Super Lig. A transferência mais bombástica, porém, apesar de não ter custado nada, movimentou dois rivais históricos de Istambul. Antigo ídolo no Fenerbahçe, Kazim Richards (Colin Richards ou Kazim Kazim, como preferirem) trocou o lado asiático da cidade pelo europeu e rumou ao Galatasaray.

Desde 2007 no futebol da Turquia, Kazim ganhou notabilidade ao defender a seleção local já na Eurocopa do ano seguinte, graças à origem turca de sua mãe. Enquanto esteve no Fenerbahçe, o meia disputou 104 partidas e marcou 11 gols. Mas sua história no clube parecia fadada ao fim desde o início da última temporada. Kazim se envolveu no escândalo sexual relacionado aos jogadores do elenco e também em um acidente, no qual foi acusado de dirigir bêbado. Diante de tantos problemas, acabou emprestado por seis meses ao Toulouse.

Desde que retornou a Istambul, no entanto, não rendeu em campo. De volta na metade de 2010, fez apenas 11 partidas, somente três delas como titular. Sem espaço no time e, principalmente, sem a paciência da torcida, o caminho natural de Kazim seria mesmo a sua saída definitiva. Só não se esperava que ela fosse tão polêmica.

A transferência, confirmada no dia 5 de janeiro, acontece para reascender a rivalidade, que completou 102 anos de história no último dia 17. Na primeira partida entre os inimigos, o Galatasaray venceu por 2 a 0. Depois disso, foram mais 365 encontros, com vantagem de êxitos para o Fenerbahçe, que venceu 139 confrontos. Os Aslanlar, todavia, podem se gabar de terem aplicado a maior goleada da história, um 7 a 0 na casa dos adversários que completa seu centenário no próximo mês.

Kazim é apenas o 34º jogador a vestir a camisa de ambos os clubes ao longo deste século de batalhas. Além, é o 17º atleta transferido diretamente entre ambos os clubes. O último deles havia sido o croata Stjepan Tomas, em 2004/05, que fez uma única temporada mediana no Fenerbahçe para depois tornar-se campeão nacional pelo Galatasaray. Para se ter uma ideia da raridade de tal evento, além de Tomas, apenas uma única vez ao longo da última década os dois inimigos sentaram em uma mesa de negociações.

Mais seletos ainda são aqueles que se podem dizer ídolos de ambas as torcidas. O maior deles talvez tenha sido Tanju Çolak, vencedor da Chuteira de Ouro da France Football em 87/88, enquanto estava no Galatasaray, mas que também foi artilheiro do nacional pelo Fener. Çolak ainda possui média de mais de um gol por jogo em ambos os clubes (166 em 160 partidas), além de ser o segundo maior goleador da história do Campeonato Turco – superado por Sukur em 2007.

Recentemente, Fatih Akyel, campeão da Super Lig dos dois lados de Istambul, tem o respeito dos fanáticos dos dois times. Já Emre Belözoglu, que foi revelado no período áureo do Galatasaray no começo dos anos 2000, chegou ao Fenerbahçe no fim da década. Torcedor declarado dos Sari Kanaryalar desde a infância, acabou eleito pela UEFA o Jogador do Ano do país em 2009/10, apesar do vice-campeonato nacional.

Para chegar aos pés de qualquer um destes, contudo, Kazim terá que se esforçar muito mais do que o visto na última temporada. Execrado pelos fãs do Fenerbahçe, precisará reverter a desconfiança dos torcedores do Galatasaray ao longo de seus três anos e meio de contrato. E, sobretudo, reapresentar o bom futebol que o levou à seleção turca. Aos 24 anos de idade, teoricamente, ele ainda tem muito que oferecer em campo.

Outros negócios

Sabendo do prejuízo tomado no primeiro turno, o Galatasaray se movimentou bem e, além de Kazim Richards, trouxe Emmanuel Culio. O meia argentino, um dos principais jogadores do Cluj, foi contratado por 2 milhões de euros a fim de aumentar a criatividade e resolver a débil na ligação entre meio-campo e ataque da equipe.

O Besiktas, por sua vez, buscou o comentado trio português composto por Simão, Hugo Almeida e Manuel Fernandes, que, ao lado de Ricardo Quaresma, deve dar trabalho aos adversários em ritmo do vira. Principalmente por conta da chegada de Almeida, quem perdeu espaço foi Filip Holosko, emprestado ao Istanbul B.B.

Já o Trabzonspor buscou os gêmeos Piotr e Pawel Brozek diretamente da Polônia, reforçando ainda mais um elenco que é favorito ao título. O centroavante Pawel é a melhor opção, ainda mais quando é levada em conta a novela de Teófilo Gutiérrez, ainda sem fim. E o Kayserispor, sem saber como voltarão Zalayeta e Cángele de suas contusões, arrematou dois bons reforços para o ataque: Karim Ziani, emprestado pelo Wolfsburg, e Nordin Amrabat, ex-PSV.

Fenerbahçe e Bursaspor, por fim, foram os únicos postulantes ao topo da tabela que preferiram manter, até o momento, a base de seus elencos.

Eliminação precoce

O intuito claro do Fenerbahçe é vencer a Super Lig, todos sabem. Um outro título, porém, não seria nada mal. Mas ao contrário do que deveria fazer, os Sari Kanaryalar menosprezaram a Copa da Turquia e acabaram eliminados de forma vexatória. Perderam os três jogos da fase de grupos da competição, o último deles para o inexpressivo Yení Malatyaspor, da terceira divisão. Quem também está fora é o Bursaspor. Com quatro pontos em três jogos, os Yesil Timsah não alcançam mais Kasimpasa e Istanbul B.B.

Por enquanto, incrivelmente, o Galatasaray é o único grande praticamente classificado. Trabzonspor e Besiktas estão nas primeiras posições do Grupo B, mas o confronto direto na rodada final deve deixar um deles de fora. Apenas os dois primeiros de cada chave passam às quartas-de-final da competição.


Os comentários estão desativados.