A goleada histórica do Manchester City sobre o Chelsea, neste domingo, suscitou questionamentos e críticas pesadas contra o treinador dos Blues, Maurizio Sarri. Os torcedores do Chelsea que viajaram até Manchester cantaram “Você não sabe o que está fazendo” para o italiano. O treinador, por sua vez, respondeu que não sabe qual será o seu futuro e que nunca falou com Roman Abramovich, quando foi perguntado se esperava ser cobrado pelo dono do clube.

LEIA MAIS: Manchester City foi implacável com erros do Chelsea e massacrou com placar histórico: 6 a 0

“O City foi fora de série, mas isso foi o pior do Chelsea nesta temporada”, afirmou Jamie Carragher, ex-defensor do Liverpool, na Sky Sports, onde é comentarista. “Estamos apenas na metade da primeira temporada de Sarri, mas a pior coisa que eu posso dizer é que parece que ele transformou o Chelsea no Arsenal”, opinou o ex-defensor do Liverpool.

“O time do Arsenal quase sempre foi batido fora de casa nos últimos sete ou oito anos porque eles têm sido muito fracos. Você não podia dizer isso do Chelsea no passado, mas este parece um time fraco”, continuou Carragher. “O erro de [Marcos] Alonso no primeiro gol é criminoso. Estava muito desligado depois de três ou quatro minutos em um grande jogo. Ele não estava ligado de jeito nenhum”.

Gary Neville também foi duro com o Chelsea. “É o tipo de clube que você não ficaria surpreso se acordarmos amanhã com a notícia que o Chelsea trocou o seu técnico. Não é algo que nós queremos, seis meses no cargo e seria uma loucura em alguns sentidos, mas é aí que estamos no futebol”, afirmou o ex-jogador do Manchester United.

“Há um dilema aí porque se o Chelsea vencer o Manchester United na Copa da Inglaterra ou vencer o Malmö no duelo pela Liga Europa, ou vencer o City na final da Copa da Liga, então seria difícil [demitir Sarri]. Esses jogadores do Chelsea são capazes de fazer isso e ter esse desempenho, mas parece uma situação lastimável”, disse ainda Neville.

“Se os donos quiserem que o clube realmente veja um nível melhor de futebol, eles precisam sobreviver à dor. Não é o momento de ser fraco nisso. Nas próximas 24 a 48 horas se o Chelsea tem a convicção de que quer seguir com ele”, comentou ainda o ex-jogador e comentarista da Sky Sports. “No passado, eles mudaram. Eles irão continuar com Sarri? Com que intenção eles estão mudando o estilo de futebol?”.

“Os técnicos trabalham com um conjunto de princípios durante a semana. Já se passaram os dias que nós víamos técnicos se adaptando e jogando com estilos diferentes a cada semana. Nós vemos um estilo de um time os jogadores estão programados para jogar dessa forma. Uma vez que você faz a sua base, na verdade é bastante perigoso mudar porque os jogadores então veem como fraqueza na filosofia do técnico e veem que ele está inseguro. Você precisa ganhar títulos para criar algum controle real em um clube para ser capaz de mudar sua mensagem”, avaliou Neville.

“Sarri fez a sua base, você tem que dar crédito a ele já que ele acredita no que ele está fazendo. Lembram de Pep Guardiola na sua primeira temporada no Manchester City? Foi uma luta e ele não conseguiu o que queria alcançar, mas ele não mudou seus princípios. Ele só fez ainda melhor com seus jogadores”, opinou ainda Neville.

Sarri, por sua vez, não parece ter medo de ser demitido pelo que ele falou. Questionado pela Sky Italia sobre receber uma ligação do dono do clube, Roman Abramovich, o italiano não se mostrou intimidado. “Se o presidente ligar, eu ficarei feliz, já que eu nunca ouvi nada dele”, afirmou o ex-treinador do Napooli. “Para ser honesto, eu não sei o que esperar”.

Com três derrotas nos últimos quatro jogos fora de casa, o Chelsea vem cambaleante e sofreu 12 gols, sem marcar um sequer. “Eu não sei sobre o meu futuro, você tem que procurar o clube. Eu estou preocupado com o meu time, o desempenho, mas o meu trabalho está sempre em risco. Então, eu não estou preocupado [em ser demitido], você tem que perguntar ao clube”, disse Sarri, que viu seu time cair do quarto para o sexto lugar na tabela da Premier League, sendo ultrapassado pelo Manchester United e pelo Arsenal.

“Nós precisaremos encontrar explicações para tudo isso nas próximas horas. Minhas sensações antes do apito inicial eram boas, assim como eram durante a semana. Nós sofremos um gol estúpido nos primeiros minutos e isso afetou todo o jogo. O Manchester City joga m futebol fantástico e eu vi um time extraordinário. Nós tivemos um blecaute total”, analisou Sarri.

“Partidas assim podem deixar uma marca. Não será fácil voltarmos a ficar de pé depois disso. O futebol também é feito de derrotas pesadas. No intervalo, eu disse aos rapazes que se nós fôssemos capazes de reagir, nós iríamos voltar mais fortes do que nunca”, contou o treinador. O problema é que o time não conseguiu reagir, sofreu mais dois gols e viu a derrota ficar ainda pior.

O Chelsea volta a campo no próximo dia 14, quinta-feira, quando enfrenta o Malmö pela Liga Europa. Depois, na segunda-feira, 18, joga contra o Manchester United pela Copa da Inglaterra. Na quinta, 21, volta a campo contra o Malmö, novamente pela Liga Europa, e então tem novo duelo marcado contra o Manchester City no dia 24, domingo, pela final da Copa da Liga. Serão duas semanas bastante intensas para o treinador do Chelsea.

Assista à entrevista pós-jogo de Maurizio Sarri, em inglês, no canal da Sky Sports: