O Cardiff City passou 51 anos longe da elite do futebol inglês. Embora seja de Gales, a equipe joga no sistema de divisões do país vizinho (e nós já explicamos por que aqui). O acesso à Premier League desta temporada não marcou apenas uma marca individual para os Bluebirds. Foi também uma conquista para Gales. Com a presença do Swansea City na primeira divisão desde 2011, esta é a primeira temporada em que dois times galeses disputam o Campeonato Inglês. Além de conterrâneos, os dois clubes têm a maior rivalidade do País de Gales, e neste domingo fazem o primeiro Dérbi do Sul de Gales pela Premier League. O crescimento dessas agremiações representa, também, o crescimento do futebol no país em que o rúgbi sempre predominou.

À época da promoção do Cardiff, Mike Cuddy, diretor do Ospreys, clube de rúgbi, elogiou o momento dos Bluebirds e do Swansea, mas reconheceu uma certa preocupação com a perda de espaço do esporte número um de gales para o crescente futebol. Além do sucesso dos dois times, o surgimento de uma estrela de nível mundial nascida em Gales – Gareth Bale – colaborou muito com essa ascensão.

Mudança de identidade da rivalidade

A rivalidade entre Cardiff e Swansea era bastante amigável na primeira metade do século XX. Nos anos de 1920, as equipes tiveram certo sucesso, com os cisnes alcançando a semifinal da FA Cup em 1926 e o Cardiff vencendo a competição no ano seguinte. Os clubes eram de certa forma unidos em torno do orgulho patriótico. A década de 1980 marcou um período de mudança nas características da rivalidade, partindo do âmbito social para as arquibancadas.

Gales vivia um momento de greves e desemprego, e os ânimos se acirravam também dentro de campo. O final dos anos 1980 e o início dos anos 1990 foram marcados por confrontos entre as torcidas dos dois times, como quando, em 1993, os adeptos do Swansea vandalizaram o estádio do Cardiff, arrancando assentos e arremessando-os em direção ao gramado. O episódio gerou punições de até quatro anos fora dos estádios para essas pessoas, e um sentimento de ódio entre os torcedores foi se desenvolvendo desde então.

Momento atual das equipes e seus efeitos

Enquanto o Cardiff retornou apenas agora à elite e terá que enfrentar muita concorrência para se manter onde está, o Swansea já está bem estabelecido, dois anos após a subida de divisão. A temporada passada foi a melhor dos cisnes desde a promoção. Além de uma boa campanha na Premier League com a 9ª colocação, viu Michu, contratação de baixo custo, brilhar e levou o título da Copa da Liga Inglesa com uma goleada sobre o Bradford City, em Wembley.

Se Gareth Bale confirmar as expectativas colocadas sobre ele no Real Madrid e passar a brilhar ao lado de Cristiano Ronaldo, o futebol tende a crescer ainda mais em Gales. Mas uma temporada bem-sucedida para os clubes galeses na Premier League é também essencial. O Swansea se reforçou com o destaque da última Eredivisie, Wilfried Bony, e faz campanha boa, estando, atualmente, na 10ª colocação. O Cardiff não pontuou muito, mas a verdade é que a tabela está muito embolada especialmente na metade de baixo, e, portanto, é difícil apontar para uma maior probabilidade de permanência ou não dos recém-promovidos.

O fato é que, do jeito que as coisas andam, os responsáveis pelo rúgbi em Gales precisarão pensar em ótimas estratégias para não perder mais espaço, porque o futebol, pelos próximos anos, promete crescer cada vez mais.