À medida que o Projeto Reinício da Premier League caminha, vozes contrárias ao retorno vão surgindo. O nome mais recente a criticar o planejamento foi Glenn Murray, atacante e capitão do Brighton. Para ele, seria preciso esperar para ver os efeitos do recente relaxamento das medidas de isolamento social no Reino Unido antes de se falar em uma volta do futebol.

Em entrevista à Sky Sports, Murray argumentou que o futebol não é uma necessidade, mas apenas um esporte. O atacante defendeu que primeiro se observe os efeitos do relaxamento do isolamento social anunciado por Boris Johnson no último domingo (10) antes de dar andamento à volta da Premier League.

“Não consigo entender por que, logo após relaxar um pouco o isolamento, estamos com tanta pressa para voltar. Por que não esperamos por volta de um mês para ver se as coisas correm como planejado?”

Murray preocupa-se com a possibilidade de os clubes e a liga passarem por um grande esforço coletivo só para, em seguida, ter que paralisar tudo novamente. “E se passarmos por toda essa encrenca para voltar e tivermos um segundo pico e tivermos que parar de qualquer forma?”, questionou.

Como todo apaixonado por futebol, o atacante está empolgado com o retorno da Bundesliga neste final de semana, mas apontou as diferenças claras de circunstâncias entre a Alemanha e o Reino Unido durante a atual crise do Coronavírus.

“Obviamente, todos nós iremos assistir à Bundesliga, porque é futebol, e todos nós amamos o futebol. Será legal ver esporte ao vivo na TV, sem dúvida. Mas acho que não estamos levando em consideração que a Alemanha teve apenas sete mil, oito mil mortes, acho (7.861, atualmente), e eles têm uma população de 20 milhões de pessoas a mais que nós (aproximadamente 17 milhões a mais). Nós estamos em 34 mil mortes (33.186, no momento), somos o país mais atingido na Europa. Parece que ninguém leva isso em consideração”, queixou-se.

Murray foi um dos 20 capitães dos clubes da Premier League que participaram de uma reunião por videoconferência na quarta-feira (13) para discutir o retorno da liga. Além do atacante do Brighton, Mark Noble, do West Ham, e Troy Deeney, do Watford, são outros que teriam sido críticos ao plano de reinício, segundo a agência de notícias AFP.

Atualmente, a Premier League trabalha para retomar sua competição já no próximo mês, depois de Boris Johnson informar que esportes profissionais não poderiam ser praticados antes de 1º de junho. Entretanto, esse planejamento precisaria passar por aval do governo, que analisaria a situação sanitária antes de dar o sinal verde.