Toni Kroos teve grande atuação na rodada inaugural do Campeonato Espanhol, mas deu sua cornetada contra a organização do torneio. Em suas redes sociais, postou uma foto dizendo que “estava mais feliz do que a imagem parecia, em um horário no qual geralmente estaria dormindo”. O pontapé inicial de algumas partidas já depois das 22h, levando em consideração outros mercados, incomoda parte dos atletas. Da mesma maneira, eles não receberam bem o projeto de se realizar jogos nos Estados Unidos já a partir desta temporada. Assim, nesta semana, os capitães dos 20 clubes da primeira divisão irão se reunir e formular seu posicionamento sobre tais decisões tomadas unilateralmente por La Liga.

A notícia é reportada pelo As. Conforme a informação, a reunião é liderada pela Associação de Futebolistas Espanhóis (AFE) e visa analisar a situação, do ponto de vista do sindicado dos jogadores. A entidade é presidida por David Aganzo, ex-atacante rodado por equipes da primeira divisão. O horário dos duelos e o projeto de levar ao menos um jogo por temporada aos Estados Unidos durante os próximos dois anos são questões cruciais. Para atingir um público maior na televisão, La Liga também espalha seus jogos entre a noite de sexta e a noite de segunda, o que incomoda os atletas e os torcedores que frequentam os estádios.

Na última semana, a AFE já tinha manifestado sua insatisfação com o acordo para as partidas nos EUA. “La Liga prescinde da opinião dos jogadores e os compromete em ações que só beneficiam a entidade, sem se importar com a saúde e os riscos aos atletas, muito menos com o sentimento das massas sociais dos clubes. O futebolista não é moeda que se possa utilizar em negócios que só beneficiam a terceiras partes”, escreveram.

Diante deste contexto, a opinião dos capitães serviria para dar um impacto maior à posição de oposição da AFE. Ter uma imagem e a assinatura de vários atletas representativos do Espanhol vale demais. Resta saber qual vai ser o impacto disso na postura de Javier Tebas. O dirigente já deu diversas mostras de sua intransigência e tem colocado os interesses comerciais acima dos interesses de todos os outros que fazem a competição. Não surpreenderá se continuar passando por cima disso.