Líderes dos vestiários dos principais clubes portugueses trocaram informações, opiniões e se organizaram por meio de um grupo de WhatsApp para pressionar as autoridades do futebol português a interromperem a temporada devido à pandemia de coronavírus, informou o jornal Record.

MAIS: QUAIS CAMPEONATOS FORAM SUSPENSOS? QUAIS FECHARAM OS PORTÕES?

De acordo com levantamento da Universidade John Hopkins, Portugal registrou até agora 169 casos relatados de COVID-19, com nenhuma morte.

Segundo a publicação, o Sindicato dos Jogadores, liderado por Joaquim Evangelista, mantém dois grupos de WhatsApp com os capitães dos clubes do país e questionou quais seriam as melhores medidas a tomar e o que eles pensavam sobre jogos com portões fechados.

De acordo com o jornal espanhol AS, Jardel, Pizzi e André Almeida (Benfica), Danilo Pereira (Porto), Coates e Neto (Sporting), Wilson Eduardo (Braga), José Semedo (Vitória de Setúbal), Ricardo Costa (Boavista), André André (Vitória de Guimarães) e Tarantini (Rio Ave) fazem parte desses grupos.

Esses nomes não gostaram da decisão de jogar partidas com portões fechados e, depois do teste positivo de Daniele Rugani, zagueiro da Juventus, na última quarta-feira, pressionaram para que as partidas restantes do Campeonato Português, da segunda divisão, do futebol feminino, amador, Copa e futsal fossem suspensas por tempo indefinido, o que acabou sendo acatado pelas autoridades portuguesas.

A primeira divisão do futebol português disputou 24 das 34 rodadas previstas e tem o Porto na liderança com um ponto a mais que o Benfica.