Fabio Capello sabe como conquistar o Campeonato Italiano. Foi cinco vezes campeão, com Milan e Roma, além dos dois scudettos revogados da Juventus, sem contar os troféus como jogador. Do alto da sua experiência, aconselha os perseguidores da Velha Senhora a não desistirem da briga, apesar de mais uma vez parecer que o título nacional se encaminha para Turim.

A Juventus ganhou os últimos sete títulos da Serie A e lidera a atual edição, ao fim do primeiro turno, com nove pontos de vantagem para o Napoli, segundo colocado. “Veja os pontos à disposição. Os que perseguem a Juventus não devem desistir. Vale a pena tentar. O Napoli e os outros. Os torcedores, no entanto, estão acostumados: a Juventus domina e vence há sete anos. Mas a paixão do povo está lá. Em Milão, até cresceu”, afirmou, em entrevista ao Il Messaggero.

Capello elogiou bastante a competitividade da Premier League e também do Campeonato Espanhol, embora tenha dado um diagnóstico de por que Barcelona e Real Madrid, atualmente, parecem menos fortes do que em anos anteriores. “Culpe a saída de Cristiano Ronaldo. Pesada. Estão dormindo em Madri. Mas o Atlético luta com Barça e Real. E também há o Sevilla. O campeonato é mais emocionante”, opinou.

O experiente ex-treinador comentou a ausência da Itália da última Copa do Mundo. Para ele, foi uma consequência da crise econômica do futebol do país. “A ausência de campões no campo e fora dele. Eles não vieram para nós nos últimos anos. A chegada de Cristiano Ronaldo é fundamental. Um exemplo: Dybala ficou acomodado nos últimos anos. Agora, com CR7, Allegri disse ao argentino que, se ele quiser jogar, tem que correr. O campo inteiro. Dybala, graças a Ronaldo, melhorou. O campeão gera outros campeões”, explicou.

O último trabalho de Capello foi no chinês Jiangsu Suning. Aos 72 anos, ele não pretende assumir mais nenhum cargo no futebol. “Acabei. Nem treinador, nem diretor técnico, nem manager. Meu futebol é só como comentarista da Sky. Estou aposentado agora. E sou avô. De quatro netos”, encerrou.