O RB Leipzig é um clube que divide opiniões na Alemanha. O surgimento da equipe da Red Bull foi execrado por muita gente na antiga Alemanha Oriental, especialmente pelos torcedores do Lokomotive Leipzig, clube tradicional da cidade. No entanto, o sucesso dos Touros Vermelhos nas divisões inferiores da Bundesliga o fez abraçado por muita gente na cidade. Em cinco anos, o time saiu do quinto para o segundo nível do futebol alemão, ocupando a zona de acesso para a elite após sete rodadas da segundona. Já a média de público saltou de 2,1 mil pessoas para 24,7 mil, impedindo a Red Bull Arena de se tornar um elefante branco da Copa de 2006.

LEIA MAIS: Tiveram de criar um time para sustentar o estádio da Copa na Alemanha

Apesar disso, a resistência do RB Leipzig continua forte. Enquanto os outros times da cidade se limitam às divisões regionais, a oposição é feita por outros clubes da Bundesliga. Neste domingo, uma prova forte disso veio na visita ao Union Berlim. Os mais de 20 mil torcedores presentes realizaram um grande protesto contra o “futebol moderno”. Capas pretas foram distribuídas ao público, enquanto faixas foram espalhadas pelas arquibancadas. Além disso, o estádio se manteve em silêncio durante 15 minutos. Uma maneira de fazer ouvir a manifestação.

Historicamente, o Union Berlim é um clube mantido pela torcida. Fundado em 1906 por operários da indústria berlinense, o time encerrou suas atividades com a divisão da capital, durante a década de 1950. Já o ressurgimento no lado oriental aconteceu em 1966, tornando-se rival do Dynamo Berlim, o clube apoiado pelo serviço de segurança comunista. A partir da reunificação da Alemanha, o Union passou por dificuldades financeiras e se manteve muito graças à ajuda de seus torcedores. Já o Estádio An der Alten Försterei, construído em 1920, passou por uma ampla reforma em 2008 graças a um mutirão feito pela torcida. Mais de 2 mil pessoas somaram 140 mil horas de trabalho para finalizar a obra nas arquibancadas, atualmente com capacidade para 21,7 mil espectadores. Três anos depois, os torcedores também compraram os naming rights do local.

LEIA MAIS: Na contramão dos naming rights, Union Berlin vende estádio aos torcedores

“Futebol precisa de: participação, fidelidade, geral, emoções, trabalhadores, fair play financeiro, tradição, transparência, paixão, histórias, independência” e “A cultura do futebol morre em Leipzig, o Union está vivo”, diziam as principais faixas estendidas no estádio. Para endossa a ação da torcida, o Union Berlim compensou as palavras dentro de campo: venceu o RB Leipzig por 2 a 1, encerrando a invencibilidade dos Touros Vermelhos e os impediu de assumir a liderança isolada. Diante do potencial que o time da Red Bull tem demonstrado, é difícil imaginar que ele não chegue à primeira divisão e repita as trajetórias de Wolfsburg e Hoffenheim nos últimos anos. De qualquer forma, haverá resistência.