Libertadores: o que dizem os odds para a histórica final Boca x River?

Não haverá jogo no mundo que desperte tanta atenção no final de semana como o Boca Juniors x River Plate. Os dois gigantes do país vizinho começam a decidir a Libertadores da América a partir das 17h (de Brasília) deste sábado (10). A primeira partida está marcada para a mítica Bombonera, enquanto a finalíssima será no Monumental de Núñez, também às 17h e também em um sábado, no próximo dia 24. Os argentinos não se aguentam para a primeira decisão da história da Libertadores envolvendo dois times do país, e logo os dois maiores rivais de uma nação que respira e vive o futebol como poucas outras em todo o mundo.

O confronto promete ser quente também para a turma que caça lucros nas casas de apostas de futebol, que tem diante de si uma decisão histórica e equilibrada como talvez nunca se tenha visto. Para se ter ideia da paridade, os dois times estão absolutamente empatados nas possibilidades de ser campeão da Libertadores, com iguais R$ 1,90 a cada R$ 1,00 apostado no título tanto de Boca Juniors quanto de River Plate. Tal empate – que não é nem empate técnico, é empate de verdade – não costuma ser visto em decisões de campeonato, seja ela da importância que for.

Se há uma igualdade exata para ver quem fica com a taça, a vantagem da primeira partida pertence ao Boca, que atua em casa e paga R$ 2,50 a cada R$ 1,00 apostado em sua vitória. As demais cotações tampouco estão distantes. O empate na Bombonera rende exatos R$ 3,00/R$ 1,00 a quem antecipar este placar, enquanto a vitória do River no campo rival devolve pouco mais: R$ 3,10/R$ 1,00, de acordo com o site especializado em apostas OddsShark.com.

O favoritismo do Boca para esta primeira final deve-se bastante ao fato de jogar em seu estádio, onde a equipe ganhou todas as partidas do mata-mata. Os xeneizes aplicaram 2×0 no Libertad nas oitavas, 2×0 no Cruzeiro nas quartas e 2 a 0 no Palmeiras nas semis. A sensação geral na Argentina é também a de o time encaixou depois de quase ser eliminado na fase de grupos. Mesmo a defesa, antes tão criticada com a indefinição de goleiros, vem demonstrando a segurança necessária para fazer com que a equipe ultrapasse as fases com boas somas nos placares agregados.

Os pontos altos da equipe comandada por Guillermo Barros Schelotto, porém, são o meio-campo e o ataque. Por jogar em um 4-3-3, o técnico conta com o esforço de Barrios, Nández e Pablo Pérez na metade da cancha, como dizem os argentinos, para servir bolas longas aos homens de frente, que aliam velocidade nas pontas, casos de Pavón e Villa, e oportunismo com a atuação precisa de Wanchope Ábila e Darío Benedetto. O Boca tanto tem um elenco forte que se dá ao luxo de contar com jogadores de renome como Gago, Cardona, Zárate e Tevez em seu banco de reservas.

Como contraponto a esta virtude azul e ouro, o River tem sua grande segurança justamente na defesa. O goleiro é o titular da seleção argentina, Franco Armani, e os dois zagueiros são considerados “xerifes de mil batalhas”, casos dos veteranos Maidana e Pinola. O grande problema do gigante de Núñez é a quantidade de jogadores pendurados – nada menos que seis. São eles Maidana e Pinola, justamente a dupla de zagueiros, além do volante Enzo Pérez, do meia Pity Martínez e dos atacantes Borré e Pratto.

As cotações de placares exatos são mais uma prova de como a partida deste sábado deve ser tremendamente equilibrada. Para ajudar nesta sensação, a previsão do tempo indica um dia bastante chuvoso em Buenos Aires. O resultado que surge com a maior probabilidade de se concretizar é o 1 a 0 para o Boca, que devolve R$ 5,50/R$ 1,00. Vêm depois dois empates, 0 a 0 e 1 a 1, e a primeira vitória favorável ao River, o 1 a 0, retornando R$ 6,50. São quatro combinações dentro de um espaço de apenas R$ 1,00!

A previsão é por uma partida de magra movimentação no placar: R$ 1,40/R$ 1,00 caso o duelo tenha dois gols ou menos e R$ 2,87 caso saiam três tentos ou mais. Os jogos entre River e Boca na Sul-Americana de 2014, Libertadores de 2015 e Supercopa Argentina de 2018 foram realmente verdadeiras batalhas, de muita perna forte e de placares apertados. O River levou a melhor nos três confrontos, somando um 0 a 0 e um 1 a 0 em 2014, um 1 a 0 e um jogo cancelado na “noite do gás pimenta” em 2015 e um 2 a 0 na Supercopa deste ano.

Quem quiser arriscar uns créditos no autor dos gols vai encontrar uma surpresa. O líder na tabela de lucros é o uruguaio Rodrigo Mora, atacante do River Plate que não tem participado da maioria dos jogos. Ele devolve R$ 3,25/R$ 1,00, seguido de Carlitos Tevez (R$ 3,50), outro suplente de presença reduzida na campanha recente xeneize. Os jogadores que vêm com uma efetividade maior rendem lucros mais altos. É o caso de Darío Benedetto, com R$ 3,75, Wanchope Ábila, com R$ 4,00, e Lucas Pratto e Rafael Borré, pelo lado do River, que pagam R$ 4,33 e R$ 4,75, respectivamente.

As cotações da decisão da Libertadores, segundo o OddsShark.com:

10/11 – 17h00 – Boca Juniors (R$ 2,50) x River Plate (R$ 3,10); empate (R$ 3,00)

Para ser campeão:

Boca Juniors – R$ 1,90

River Plate – R$ 1,90

Confira outros odds do futebol brasileiro e internacional na Trivela.