Campeonato Brasileiro de artes de pré-jogo: qual clube tem a melhor divulgação de escalação em 2020?

Texto de Pedro Reinert*

Eu já vinha sonhando em repetir essa disputa por mais um ano, mas juro que não queria que fosse agora. A Série A do Campeonato Brasileiro começou logo na semana em que o país bateu 105 mil mortes por COVID-19. Com partidas sendo autorizadas (imagina se desautorizariam?!) minutos antes da bola rolar, a gente sabe que nada disso deveria estar acontecendo.

Mas está. E o que vale pro futebol, vale pro que o sustenta. Então, numa tentativa vã de aliviar o nosso pesar, passo outra vez pela Trivela pra repetir um projeto que tanto me divertiu no ano passado. E a ideia (que não é originalmente minha, vale lembrar) foi tão legal que, depois da repercussão, o Bahia até mergulhou de cabeça na brincadeira.

Declaro, portanto, o Campeonato Brasileiro de Artes de Divulgação de Escalações 2020 oficialmente aberto. Vou analisar cada uma das postagens mais esperadas do pré-jogo nas redes sociais dos 20 clubes da Série A e avaliá-las considerando aparência e informações contidas.

Essa análise é feita considerando dois aspectos primordiais das peças: visual e conteúdo. Ou seja, a postagem precisa não só ser bonita e funcional, mas também cumprir seu objetivo enquanto mensagem sem deixar linhas soltas. Ah, e dois fatores serão levados em consideração em relação ao ano passado: se a peça é a mesma de 2019 e se os patrocinadores foram incluídos.

O sistema de pontos funciona assim:

  • Fonte: 2 pontos
  • Cores: 2 pontos
  • Imagens incorporadas: 2 pontos
  • Formato: 2 pontos
  • Diagramação: 2 pontos
  • Repetição: -3 pontos
  • Informações essenciais (data, hora, local, rodada, adversário): 5 pontos
  • Time titular: 0,5 ponto
  • Time reserva: 1 ponto
  • Numeração: 0,5 ponto
  • Técnico: 0,5 ponto
  • Capitão: 0,5 ponto
  • Disposição tática: 1 ponto
  • Transmissão: 0,5 ponto
  • Patrocinadores: 0,5 ponto

Copiou? Vamos ao que interessa.

***

Athletico Paranaense

Visual: 7 | Conteúdo: 2,5

De novo com vídeo, Furacão??? É bom repetir: não usar uma imagem estática é tendência, mas não funciona para a escalação. Se os titulares já estão definidos no texto, por que assistir até o fim? E não tem nem um easter egg no final, poxa. Pelo menos está bom em termos de cores, animação e diagramação, mas é um longo minuto de perfumaria para dizer essencialmente o que está escrito logo acima na postagem. Nada de informação.

Atlético Goianiense

Visual: 7 | Conteúdo: 5

Até que o Dragão foi bem no retorno à Série A, mas vai dizer: fica meio estranho deixar parte das informações pro texto do post, né? Não tirei pontos por isso, mas queria colocar aquele asterisco em caneta vermelha ao lado da nota. E tem dois lugares dizendo qual campeonato o time está jogando, mas nada de data, hora, local ou rodada. Ao menos não deve ser rebaixado (aqui).

Atlético Mineiro

Visual: 7,5 | Conteúdo: 7,5

Não vai pensar que eu não vi que é QUASE a mesma arte do ano passado, Galão. Vou descontar um pontinho. Mas, pra sorte do alvinegro, é uma peça ótima, de cores lindas e diagramação interessante. Traz os patrocinadores e muitas informações relevantes, mas eu prefiro ver a disposição tática do que o Réver — a cara dele, inclusive, é a minha tentando ler as redes sociais do clube ali no cantinho.

Bahia

Visual: 9 | Conteúdo: 10

Eu mal tenho o que dizer. O Esquadrão não só seguiu o guia do ano passado à risca, como o fez de um jeito impecável. Veja a delicadeza na faixa de capitão. O preciosismo de indicar o técnico com um boné. Nem vou tirar nota por repetir a arte (que, justiça seja feita, só passou a ser usado a partir da 6ª rodada da campanha passada), porque alguns deleites são eternos. Perde um pontinho pela arte ser quadrada e não retangular, mas quem liga? O Bahia é o mundo.

Botafogo

Visual: 8 | Conteúdo: 7,5

Meu coração gosta de crer que o estagiário do Fogão também leu o guia de 2019, porque olha o tamanho da evolução. O visual dessa peça é lindíssimo e *quase* impecável, esbarrando apenas nas dimensões: a arte na vertical impede que a escalação seja vista de bate-pronto, sem precisar clicar. No mais, só faltou a disposição tática, a transmissão e a rodada, mas o Honda é tão incrível que praticamente compensa. O Bota vem forte.

Ceará

Visual: 7 | Conteúdo: 3,5

Essa peça ganharia vaga pra Libertadores à primeira vista, mas, quanto mais eu olho pra ela, mais eu percebo que valeria a pena ter optado por um caminho mais simples. A foto dos dois jogadores e o “título” da partida repetido tomam espaços que poderiam ser melhor aproveitados (com informações que faltaram), e a leitura em alguns pontos (principalmente no banco) é bem prejudicada. Mas está bonito, está bonito.

Corinthians

Visual: 7,5 | Conteúdo: 6,5

Eu particularmente não sou muito fã dessa mistura estética de prancheta + LED + futebol de botão, mas gosto é gosto — e, para quem gosta, deve estar show de bola. Só fico meio assim com a diagramação, que não me permite ver com clareza nem o Cássio, nem os suplentes. Já no que diz respeito às informações, é um dos poucos clubes que informa onde o jogo vai passar, mas ainda faltam algumas coisinhas tão vitais quanto Mateus. Desculpa.

Coritiba

Visual: 8 | Conteúdo: 8,5

Simples, bonita e funcional, a arte do Coxa. É uma peça que entende sua função e destaca só o que é importante. Perdeu um pouquinho no visual pelas fontes pequenas e espaços sobrando, mas é coisa fina. Também só deixou de marcar duas caixinhas (transmissão e tática) nas informações. Preciso apenas destacar a gigantesca colher de chá que eu dei aceitando esse “HOJE” como data. Pô, meu camarada, aí você desmerece a nossa capacidade. Cartão amarelíssimo.

Flamengo

Visual: 7,5 | Conteúdo: 6

O campeão do ano passado (aqui e no campo) está pecando demais (aqui e no campo). É só pensar no que é mais relevante pro torcedor: uma mensagem genérica de apoio ou saber de que lado o Vitinho vai sair jogando hoje? Porém, se as informações e os elementos da imagem estão medíocres, pelo menos visualmente a peça é bonita e trabalha bem demais as cores do clube. De qualquer forma, era de se imaginar que o ano passado do Fla seria difícil de repetir.

Fluminense

Visual: 9 | Conteúdo: 9

Obra de arte do Fluzão. Até parece estranha à primeira vista, mas fica mais bonita a cada olhada (até aí, é como um quadro de Magritte). É tão bem trabalhada que não dá muita margem pra cutucar. No visual, não é 10 por causa do formato quadrado, que vale só um ponto. No conteúdo, não é 10 pela ausência da transmissão e dos patrocinadores (mesmo que, vamos lá, certamente meia dúzia de logotipos arruinariam essa belezura).

Fortaleza

Visual: 6,5 | Conteúdo: 6

Em comparação com o ano passado, é uma história de Rocky Balboa. E, poxa, com cores tão bonitas e grafismos super bem pensados, essa peça tinha muito potencial, mas eu simplesmente não consigo parar de olhar pro Osvaldo azul. Além disso, é um dos únicos times do campeonato que não mostram quem é o técnico e é outro que mete a falcatrua do “hoje” como dia do jogo.

Goiás

Visual: 5 | Conteúdo: 6

Falando de elementos de imagem, não tem muita coisa que me incomoda de verdade — mesmo que o grafismo mais bonito de todos tenha ficado numa dúzia de pixels do rodapé. O que me mata é tudo relacionado a texto. Escrever em Arial funcionaria pro Brasileirão de 2005, mas hoje ainda não é vintage (talvez nunca seja), e a formatação me parece meio… amadora? Por fim, qual é a necessidade de saber quem é o preparador de goleiros a uma hora da bola rolar?

Grêmio

Visual: 7 | Conteúdo: 6

Eu fico meio assim, pensando que o elemento de maior destaque da arte do Grêmio é a CONSTATAÇÃO DE UM FATO. Quer dizer, se esse post é para divulgar a escalação, eu naturalmente me levo a crer que, SIM, O TRICOLOR ESTÁ ESCALADO. Estranho seria se não estivesse. Não precisava reafirmar. Só precisava mostrar mais coisas além do time que vai jogar, mas não o fez. O (b)ônus é o Renato projetado como aquele Jesus Cristo das mensagens de bom dia no grupo da família.

Internacional

Visual: 8 | Conteúdo: 6,5

Quem levou esse Gre-Nal foi o Colorado, mas num 1–0 sem emoção. O Inter fez só o arroz com feijão; caprichou no peso das fontes, simplificou as caixas de informação e acertou nas cores. Acabou com a mesma nota do ano passado, mesmo fazendo um caminho diferente: trocou a disposição tática por uma foto de jogador e o formato retangular pelo quadrado, que só vale um ponto.

Palmeiras

Visual: 9 | Conteúdo: 4,5

Visualmente, essa só peca por ser quadrada. A peça é linda, tem ótimo contraste, ótima leitura e é uma das únicas do campeonato que já traz o uniforme com qual o time vai a campo. O problema é que não diz mais absolutamente nada; a data, a hora, o local, a rodada, o capitão e o técnico, você que se vire para descobrir — ou torne-se Sócio Avanti a partir de R$ 599,99 ao mês.

Red Bull Bragantino

Visual: 5 | Conteúdo: 2

Deus do céu. Fica claro porque é clube-empresa e não clube-agência. Quem foi que inventou essa história de escalação em ordem numérica? O que é essa foto em chroma key? O goleiro é o que está em preto? Quem é o capitão? Quem é o técnico? Onde vai ser? CONTRA QUEM É O JOGO? QUE TIME É ESSE AÍ??? QUE DIA É HOJE?????????

Santos

Visual: 8,5 | Conteúdo: 9

Eu nem achei a arte tão bonita assim, mas ela visualmente não tem nenhum erro (só pecou um tiquinho na diagramação dos nomes dentro das caixas e, vai, podia ter uma fonte mais interessante). A aplicação dos uniformes exatamente como sairão do túnel é uma beleza. Já no conteúdo, é quase um 10 redondo: faltou só a disposição tática. Peixão veio forte.

São Paulo

Visual: 8 | Conteúdo: 7

Por mais que tenha sido redesenhada, o veredito dessa arte é exatamente igual ao do ano passado: a peça do Tricolor de novo é uma das mais bonitas do campeonato, mas pra que fazê-la tão esticada na vertical? O Pablo é tão alto assim? Enfim, o que me chamou mesmo atenção foi a ausência do capitão. Ai, se ainda fosse o Rogério…

Sport Recife

Visual: 4 | Conteúdo: 6

A intenção até foi boa, mas parou por aí. A foto do Rafael cortada antes da imagem acabar, o texto num vermelho de contraste estridente com preto, a pixelização dos nomes na escalação e no banco, as cinco fontes diferentes ou o Mailson no gol: eu realmente não sei o que é pior.

Vasco da Gama

Visual: 7,5 | Conteúdo: 7,5

Talvez tenham exagerado nos elementos visuais, fazendo com que fique muita coisa junta para processar. Mesmo assim, as fontes e a diagramação (principalmente do topo) são das mais bem pensadas do campeonato. Tem uma e outra inconsistência, mas em geral é uma peça acima da média. E está chique a colina, viu? Metendo “starting 11” e tudo. Gostei.

***

Resultado final

Assim terminou a segunda edição do Campeonato Brasileiro de Artes de Divulgação de Escalações. O Bahia é campeão incontestável, é claro. O Coxa beliscou uma vaga no G4 logo depois de subir, e o trem bala da colina visitará a elite da América. Ceará, Sport, Athletico e Braga ficaram para trás.

O Mengão certamente foi a maior decepção, quase perdendo a vaga pra Copa Sul-Americana depois de ter levado a taça no ano passado. E fica pior ainda pro torcedor rubro-negro, tendo que ver o Flu com uma campanha surpreendente dessas, terminando como vice depois de quase ser rebaixado no ano anterior.

Em 2020, alguns critérios de avaliação mudaram, mas certas narrativas se mantiveram do mesmo jeito. O Santos novamente ficou no quase, e o Botafogo manteve tranquilamente a 5ª colocação. Já o Vozão quase escapou, mas amargou o segundo rebaixamento em dois anos.

Aliás, já que não temos saldo de gols, vale lembrar que o critério de desempate é a nota de conteúdo — por isso, Flamengo e Galo tomaram a dianteira em relação a seus concorrentes. Onde ficou o seu time?