Jonathan Calleri estava com um pé para fora da porta, mas voltou atrás. Cancelou a transferência para o Las Palmas e decidiu ficar no West Ham. Quer brigar pelo seu espaço na combalida equipe de Slaven Bilic, que levou 4 a 0 do Manchester City, na última quarta-feira, frustrando também os são-paulinos, que sonhavam com o seu retorno. E quem o convenceu a fazer isso foi um velho conhecido tanto dos brasileiros quanto dos torcedores dos Hammers: Carlos Tevez.

LEIA MAIS: Passagem de Payet pelo West Ham foi breve, intensa e brilhante

Calleri chegou ao leste de Londres no começo da temporada e, de imediato, ganhou algumas chances. Foi titular nos dois jogos da fase preliminar da Liga Europa, contra o Astra Giurgiu, da Romênia, e o West Ham acabou eliminado precocemente da competição europeia. Entrou no segundo tempo de seis jogos da Premier League nas nove primeiras rodadas e começou jogando a terceira fase da Copa da Liga Inglesa, contra o Accrington Stanley.

Mas não marcou nenhum gol nessas partidas e, em meio ao turbilhão de problemas que foi a metade inicial da temporada do West Ham, passou a não ficar sequer no banco de reservas. E olha que o principal atacante da equipe, Andy Carroll, esteve machucado durante boa parte desse período. Bilic preferiu até mesmo improvisar Antonio como centroavante a dar uma chance ao argentino. O mercado de inverno deu uma mãozinha a Calleri, com a saída de Simone Zaza, e a bravura de permanecer no clube foi premiada pelo técnico, que colocou o atacante no banco de reservas das últimas três partidas da Premier League. Em uma delas, contra o Middlesbrough, ele marcou seu primeiro gol com a camisa do West Ham.

“Eu conversei com Tevez alguns meses atrás”, afirmou, à Sky Sports. “Quando ele chegou ao West Ham, estava em posição similar à minha. Era difícil para ele e também foi difícil para mim. Eu vou ficar. Quero lutar. Eu segui seu conselho e quero ter sucesso e seguir os seus passos”.

Os dois atacantes atuaram juntos no Boca Juniors, antes de Calleri transferir-se para o Brasil. Quando foi apresentado no São Paulo, ele afirmou que “aprendeu muito” com Tevez e recebeu todo tipo de auxílio do craque argentino. Foi o próprio Tevez, inclusive, quem recomendou que Calleri assinasse com o Tricolor do Morumbi.

Tevez salvou o West Ham do rebaixamento, na ponte que fez no clube entre sair do Corinthians e chegar ao Manchester United. E, realmente, o começo foi bastante complicado. Marcou seu primeiro gol apenas na sua 17ª partida de Premier League, mas, em seguida, pegou no embalo: balançou as redes sete vezes nas últimas dez rodadas, e os Hammers terminaram o campeonato em 15º lugar, a três pontos da degola.