O Real Madrid ainda recolhe os cacos depois da eliminação doída da Champions League na noite de terça-feira, diante do Ajax, em um 4 a 1 sofrido em casa. E já pensando no que vai acontecer na próxima temporada, o ex-presidente do clube, Ramón Calderón, já tratou de soltar a corneta. Segundo o dirigente, José Mourinho provavelmente será o treinador, uma escolha que ele considera questionável. Curiosamente, o Real Madrid parece ter um problema que Mourinho tem criado em seus últimos trabalhos: lidar com o vestiário.

LEIA TAMBÉM: Má notícia para o Real Madrid: Vinícius Júnior rompe ligamentos do tornozelo e deve parar por dois meses

 

Mourinho deixou o Real Madrid em 2013, depois de três anos no comando da equipe – com três semifinais de Champions League, um título da Copa da Espanha e um título espanhol. O seu nome é o mais falado para voltar ao comando dos merengues, ao menos para o presidente do clube, Florentino Pérez. O ex-presidente Ramón Calderón considera que esse será um erro.

“Eu não tenho dúvida que Mourinho é a primeira opção para o presidente. Ele foi contatado nas últimas semanas”, afirmou Calderón ao Sky Sports News. “Quando Zinedine Zidane saiu, Mourinho estava com o Manchester United e ele disse que não era o momento para voltar, mas agora ele está livre. Eu acho que há muitas chances que ele esteja no banco na próxima temporada”, continuou o dirigente.

Calderón foi perguntado pelo ESPN FC se ele gostaria de ver Mourinho de volta. “De jeito nenhum. Eu já mencionei o tanto de dano que ele causou lá. Seu estilo de jogo não é o que o Bernabéu quer. O que os torcedores querem é o que acabamos de ver no Ajax, bravura, agressividade com muita velocidade e ousadia. Mourinho não faz isso”, afirmou o dirigente. “Eu acredito que ele estará lá no próximo ano já que ele é o único técnico que o presidente respeita e é porque ele coloca o vestiário em ordem e exige que os jogadores trabalhem muito”.

Como Calderón considera Mourinho uma opção ruim, ele foi perguntado então quem poderia ser o candidato. “Talvez Mauricio Pochettino, eles estão falando sobre ele. Mas há haverá muitos nos próximos dias, porque os torcedores não irão aceitar a situação. Houve três ou quatro meses reclamando, lamentando o que foi feito planejando esse time”, declarou Calderón.

Parece que a escolha de Mourinho é bem popular entre os torcedores, porque o nome dele foi cantado no estádio durante a humilhante derrota diante do Ajax. O treinador disse ter ficado feliz com a lembrança “Eu estou orgulhoso disso, mas o Real Madrid tem um técnico. Obviamente, é uma razão para estar orgulhoso, mas nada além disso”, disse Mourinho ao El Chiringuito. “Não houve nada [entre o clube e ele], nem o mínimo contato. Eu não fiz isso [falar com o presidente]. Como você disse, há rumores. Mas rumores no futebol são ruins”.

Mourinho se disse surpreso pela eliminação do Real Madrid. “Foi surpreendente, mas eu vejo isso com muito respeito por tudo que eles fizeram antes. Você não pode vencer quatro, cinco, seis Champions League em seguida. Eles sabem quem quando eles ganharam, fiquei feliz por eles, ele es sabem que eu não estou feliz com o que aconteceu”, continuou. “Mas é como eu te disse, eu tenho muito respeito pelo que eles fizeram e veremos se outro time pode fazer isso – eu não acho que irá acontecer de novo”.

Muito acionado pela imprensa espanhola diante das especulações que pegam fogo, Mourinho também falou ao Deportes Cuatro sobre o Real Madrid. “Eu guardo uma recordação fantástica no geral. Trabalhar para o Real Madrid foi uma experiência única e diferente de todas que eu tive, e isso que foram grandes experiências”, afirmou o treinador.

“Fizemos coisas fantásticas, ganhamos a liga de um modo único e também tivemos momentos ruins. E eu cometi erros e melhorei muito como reinador e como pessoa depois dessa experiência. Estou tranquilo”, afirmou ainda Mourinho. “Não tive problemas em voltar ao Chelsea, não teria problema em voltar ao Real Madrid, ao Porto, à Inter, a todos os clubes que passei. Se alguém te quer, é um sentimento bom. A única equipe que eu estive um dia e me chamou para voltar foi o Chelsea, não o Real Madrid. As pessoas tiram as coisas de contexto”, disse Mourinho.

Um dos grandes problemas que Mourinho tem enfrentado na carreira é justamente a gestão de vestiário. É comum ouvirmos elogios sobre os treinamentos e mesmo sobre o conhecimento de Mourinho. Os relacionamentos, porém, ficaram abalados tanto no Chelsea quanto no Manchester United. Antes, no Real Madrid, o seu nível de desgaste com o vestiário também estava alto quando o clube decidiu que ele não ficaria. Tanto que contratou um gestor de vestiário mais apaziguador, Carlo Ancelotti, que acabaria por vencer a Champions League.

Se contratado, Mourinho teria a missão de uma reformulação grande, tendo que lidar com ao menos alguns dos veteranos que inevitavelmente ficarão. Será que o método de Mourinho ainda pode ser eficaz, mesmo com tantos problemas nos últimos anos e com rusgas que ele mesmo deixou em Madri? É algo para ser bem pensado. Olhando neste momento, faz pouco sentido para o Rela Madrid pensar em Mourinho. Talvez a visão não seja muito diferente de clubes brasileiros que querem um xerife, que chegue chutando a porta do vestiário. Uma autoridade. Uma visão muito simplista sobre o futebol, que é muito mais complexo que isso.