Cadê as asas?

Quando a temporada 2011 da Major League Soccer começou, o New York Red Bulls era considerado por muitos analistas, inclusive por este que vos escreve, um dos principais candidatos ao título da MLS Cup. Mas olhando a tabela, o clube de NY aparece em uma situação preocupante já que tem apenas seis vitórias, junto com seis derrotas e treze empates, além de estar no limite da zona de classificação dos playoffs.

Nos sete primeiros jogos, o time nova-iorquino alcançou quatro vitórias e o começo parecia bastante promissor. Mas nos seguintes dezessete jogos, a situação dos touros vermelhos foi mal a pior: Cinco derrotas, onze empates e apenas duas derrotas, que vieram contra dois times mais fracos, New England e Toronto.

O clube, que nunca venceu nenhuma competição profissional e sofre uma grande pressão há anos devido a isso, criou grandes expectativas para esse ano, já que conta com ótimos jogadores em relação ao nível da MLS, inclusive Thierry Henry e Rafa Marquez, que vieram da Europa com muita experiência e bom futebol para jogar nos Estados Unidos.

A derrocada do clube nova-iorquino não deve ser relacionada ao ataque, já que o setor ainda funciona muito bem. Thierry Henry, Luke Rodgers e Juan Agudelo fazem um ótimo trabalho e levam o Red Bulls a ter o melhor ataque da liga, com 40 gols, dois a mais que o Colorado Rapids, 2º colocado nesta categoria.

O que mais preocupa é a defesa. Mesmo tendo nesse setor uma das melhores zagas da liga, formada por Tim Ream e Marquez, o clube sofre bastante. A defesa do Red Bulls é a quinta pior da liga, já sofreu 35 gols na temporada e tem um grande problema. Praticamente a metade dos gols sofridos pelos nova-iorquinos saiu em jogadas de bola parada. Estas que mesmo quando contidas, sempre causam bastantes problemas aos touros.

Outro problema da equipe aparece debaixo das metas onde Andy Sutton e Bouna Condoul não conseguiam dar conta do recado. Com isso, a diretoria contratou Frank Rost, goleiro experiente vindo do Hamburg. Nada mudou muito, já que o alemão fez sua estréia pelo clube um mês atrás, contra o Colorado Rapids, e tomou quatro gols. Para piorar um pouco a situação, Rost sofreu uma lesão ao sentar em um avião e ainda desfalcará o Red Bulls por algum tempo.

Caso Hans Backe não acerte a defesa, o New York perderá a melhor chance da história do time para conquistar o primeiro título da história do clube. E se brincar, o clube que era um dos favoritos para chegar ao título da MLS Cup pode até ficar de fora dos playoffs, o que seria algo extremamente vergonhoso, devido ao investimento dos donos do clube.

Confira os resultados da 22ª semana da MLS:

Seattle Sounders 0x0 Chivas USA
Toronto FC 1×0 Real Salt Lake
TFC: João Plata (3’)
New York Red Bulls 2×2 Chicago Fire
NY: Thierry Henry (9’), Joel Lindpere (63’) / CHI: Dominic Oduro (16’), Sebastian Grazzini (24’)
DC United 4×0 Vancouver Whitecaps
DC: Chris Pontius (45’, 70’), Andy Najar (48’), Stephen King (81’)
Columbus Crew 3×1 New England Revolution
CLB: Kevin Alston (contra, 54’), Julius James (75’), Emilio Renteria (81’) / NE: Benny Feilhaber (45’)
Philadelphia Union 2×2 FC Dallas
PHI: Sebastien Le Toux (33’, 84’) / DAL: Maicon Santos (16’), Brek Shea (45’)
San Jose Earthquakes 1×2 Colorado Rapids
SJ: Joey Gjertsen (22’) / COL: Caleb Folan (39’), Jeff Larentowicz (72’)
Houston Dynamo 2×1 Portland Timbers
HOU: Adam Moffat (17’), Brian Ching (27’) / POR: Jack Jewsbury (56’)