A noite foi dos visitantes. Em situações bem mais confortáveis no Campeonato Brasileiro, Atlético Mineiro e Grêmio deram passos gigantes rumo à decisão da Copa do Brasil. Mesmo diante de 50 mil pessoas no Mineirão, o Tricolor não se intimidou e teve atuação dominante contra o Cruzeiro para vencer por 2 a 0. Já o Galo enfrentou mais dificuldades no Beira-Rio, em confronto parelho contra o Internacional. Entretanto, arrancou o valioso triunfo por 2 a 1 graças a um contra-ataque mortal nos últimos minutos. Situação confortável para ambos, ainda mais pensando que seus adversários seguem voltados a evitar o rebaixamento na Série A. E as duas partidas merecem também destaque pelas jogadaças que acabaram sendo fundamentais, a partir de características diferentes.

Em Belo Horizonte, o nome foi Luan. O protagonista do Grêmio abriu o placar da maneira mais fabulosa possível, complementando o afinamento coletivo dos tricolores. O time de Renato Gaúcho trabalhou muitíssimo bem a jogada de posse de bola e troca de passes, com 22 toques até a definição. Então, Luan primou pelo talento: um chute caprichoso por cobertura, longe do alcance do goleiro Rafael. Golaço.

Já em Porto Alegre, o Galo deu a aula do contra-ataque perfeito para retomar a vantagem e fechar o marcador, já aos 44 do segundo tempo. Difícil dizer o que foi melhor. Após o chutão da defesa, Cazares foi capaz de um domínio cinematográfico, tirando dois marcadores de seu encalço. Passou para Luan, que recusou o egoísmo e, quando os adversários se desesperavam para fechar seu ângulo, rolou para Pratto arrematar. Outra jogada magistral.

https://youtu.be/lt1rVzLl6kw?t=18m56s