A movimentação do Grêmio no mercado de transferências ganhou as manchetes nesta terça. Através de seu twitter, um jornalista gaúcho revelou que o Tricolor estava contratando Enrico Cabrito, promissor lateral esquerdo argentino. Horas depois, a informação teve espaço até mesmo no principal programa da televisão gaúcha na hora do almoço.

Cabrito, na verdade, não passa de uma farsa. O jogador havia sido inventado por um torcedor gremista, que começou a tuitar a informação para brincar com um amigo. No fim das contas, o rumor repercutiu mais do que deveria.

E esta não foi a primeira vez que um jogador inventado foi confirmado como reforço de um clube de verdade. O próprio Grêmio tinha passado por situações parecidas, com as especulações sobre Bruno Camargo e Johann McDouph. Já na Europa, os casos são dos tipos mais variados: promessa moldava criada por blog, personagem de novela e até erro de videogame. Conheça alguns deles:

Masal Bugduv

A história mais notável é a de Masal Bugduv, apontado como grande promessa da Moldávia por alguns blogs. Em janeiro de 2009, a ideia acabou comprada pelo jornal britânico The Times, que incluiu o jogador de 16 anos em uma lista de “50 maiores estrelas ascendentes do futebol”. O atacante fictício do Olimpia Balti foi o 30º do ranking e, segundo os britânicos, o Arsenal era o seu possível destino.

A Associated Press embarcou na mentira, publicando nota sobre o interesse de Arsenal, Chelsea, Reading e Zenit no “novo Gheorghe Hagi”. Até mesmo o empresário do garoto, Sergei Yulikov, foi entrevistado pela agência: “Não tenho dúvidas que ele tem a habilidade de Fàbregas e Nasri, mas precisa de um estágio para provar isso. Ele pode ser tão forte quanto Mikel, mas lembre-se que ele continua sendo um garoto de 16 anos”.

A farsa havia sido inventada por um grupo de amigos irlandeses, que incluiu menções a Bugduv na Wikipedia e criou notícias de falsos jornais moldavos. A intenção era fazer uma sátira sobre o mercado de transferências. O nome Masal Bugduv possui sonoridade parecida com M’asal Beag Dubh (Meu Pequeno Burro Preto), conto irlandês sobre um vendedor desonesto que tenta exagerar o preço de um burro.

Didier Baptiste

O jornal The News of the World deu o furo de reportagem em novembro de 1999: o Liverpool pagaria £3,5 milhões ao Monaco por Didier Baptiste, defensor da seleção francesa sub-21. Na onda, outros veículos britânicos divulgaram a notícia, como The Times e The Observer. Baptiste, no entanto, era personagem de uma novela chamada “Dream Team”, na qual defendia o também ficcional Harchester United.

Em um dos episódios, o personagem comentou sobre o interesse de “um grande clube treinado por um francês” e foi perguntado se era o Liverpool, de Gerard Houllier, ou o Arsenal, de Arsène Wenger. A história se tornou brincadeira em um fórum de torcedores dos Gunners e acabou ganhando espaço indevido nos jornais.

Ernest Gund

Em 2003, o Observer noticiou o interesse do Leeds em Ernest Gund. Segundo o jornal, o meio-campista da seleção austríaca sub-21 havia sido convidado pelo técnico Peter Reid para um período de testes. Artilheiro da segunda divisão pelo DSV Loeben, o garoto ainda foi apontado como o esportista mais sexy da Áustria.

A especulação ganhou proporções maiores e outros clubes passaram a ser especulados, como Middlesbrough, Charlton e Chelsea. Nos fóruns, os torcedores começavam a temer pela perda da promessa. O que todos só descobriram dias depois era que Gund não existia: era um jogador erroneamente incluído no jogo Championship Manager. As notícias falsas sobre suas negociações com outros clubes haviam sido criadas por um torcedor do Everton.