Em 2006, fará 20 anos que a Argentina conquistou sua última Copa do Mundo. Um período incômodo para os platinos, que ainda guardam fortemente em seu imaginário as personagens que fizeram parte daquela conquista. Caso de Burruchaga, autor do gol do título.

Dono de razoável habilidade, boa capacidade de conclusão e pegada acima da média para um atacante, Jorge Luis Burruchaga não é apenas o responsáevl pelo terceciro gol na vitória sobre a Alemanha Ocidental da Copa do México. Foi dele também o gol que deu ao Independiente o título da Libertadores de 1984, sobre o Grêmio.

Burruchaga nasceu na pequena cidade de Gualeguay, a 234 km ded Buenos Aires, e começou sua carreira na equipe do Arsenal de Sarandí. Dois anos depois, foi contratado para jogar no Independiente, onde ficou até 1985. No ´Rey de Copas´, o atacante foi campeão da Taça Libertadores – torneio pelo qual foi artilheiro de sua equipe – e do Mundial Interclubes de 1984.

Tal desempenho chamou a atenção do futebol Europeu. Em 1985, a equipe francesa do Nantes o contratou. Burruchaga ficou sete anos nos canários, somando 140 jogos e 27 gols.

Copas: 1986 e 1990

Graças ao seu futebol,  Burruchaga foi convocado para integrar a seleção argentina que foi campeã em 1986, sob o comando de Carlos Bilardo. Diego Maradona era o grande maestro daquela equipe que contava com jogadores como: Oscar Ruggeri, Sérgio Daniel Batista, Ricardo Giusti e Jorge Valdano. O jogador começou aquela copa como o último homem de meio campo e acabou praticamente como atacante ao lado de Jorge Valdano.

Burruchaga também fez parte da seleção vice-campeã da Copa da Itália, em 1990. Nesta copa os argentinos eliminaram o Brasil nas oitavas de finais com um gol de Caniggia aos 36 minutos do segundo tempo. Na final a Argentina duelou novamente com a Alemanha Ocidental. Só que, desta vez, os alemães venceram: 1 a 0. Ao todo foram 14 partidas e 3 gols marcados, em Mundiais. Na Seleção foram 59 jogos e 13 gols.

Em 1993, Burruchaga teve uma rápida passagem pelo Valenciennes, também da França. Foi um momento infeliz de sua carreira, pois se envolveu no escândalo de compra de resultados do jogo em que seu time perdeu por 6 a 0 do Olympique de Marselha.

Suspenso pela Justiça esportiva francesa, o atacante voltou ao Independiente em 1995 e logo conquistou a Supercopa Libertadores daquele ano. Três anos depois, o argentino se aposentou. Burruchaga vestiu a camisa vermelha do Independiente 229 vezes, marcando 72 gols. Até hoje é reverenciado pelos torcedores tornando-se um dos principais jogadores da história dos ´Rojos´.