A Federação Búlgara de Futebol (BFU) anunciou nesta quarta-feira que tem um novo técnico. O nome é muito conhecido não só dentro do país, mas por todos admiradores de futebol pelo mundo: Krassimir Balakov, ex-jogador, que se notabilizou especialmente pela campanha histórica da Bulgária na Copa do Mundo de 1994.

Como jogador, Balakov vestiu a camisa da seleção búlgara em 92 jogos. Treinava, atualmente, o Etar Veliko, clube do próprio país. Ele substitui Petar Houbchev. Aos 53 anos, Balakov começou a carreira como técnico em 2003, como assistente do Stuttgart, clube pelo qual foi um jogador muito importante. Já treinou times na Suíça, na Croácia, na Alemanha, na Polônia e no seu próprio país, a Bulgária, onde foi técnico do Etar Veliko na atual temporada, 2018/19.

Como jogador, Balakov surgiu no próprio Etar, em 1983. Jogou pelo clube até 1990. Em 1991, se transferiu para o Sporting, de Portugal. Passou muitos anos importantes no clube de Lisboa, onde ficou até 1995 – foi para a Copa do Mundo de 1994 justamente como jogador dos Leões. Em 1995, ainda na onda do bom Mundial feito pela Bulgária, se transferiu para o Stuttgart. Foi o clube pelo qual mais atuou na carreira: ficou até 2003, com mais de 200 jogos pelo clube.

Krassimir Balakov, da Bulgária, em jogo contra a Alemanha na Copa de 1994 (Foto: Getty Images)

Pela seleção búlgara, atuou de 1988 a 2003, com seus 92 jogos e 16 gols marcados. Foi eleito para o All-Star Team da Fifa na Copa de 1994 e eleito o jogador búlgaro do ano em 1995 e 1997 – veja, ele concorria com ninguém menos que Hristo Stoichkov, provavelmente o maior nome daquela seleção da Bulgária que foi quarta colocada em 1994. A sua regularidade na carreira o premiou ao ser escolhido para o time do ano da Bundesliga na revista Kicker nas temporadas 1995/96, 1996/97, 1997/98.

Foi campeão da Copa de Portugal em 1995, pelo Sporting, da Copa da Alemanha, em 1996/97, e participou de campanhas históricas do Stuttgart, como ter chegado à final da Recopa Europeia em 1997/98 e ser vice-campeão da Bundesliga na temporada que encerrou a sua passagem pelo clube alemão, em 2002/03.

“Ele é um dos maiores jogadores de futebol do nosso tempo”, afirmou o presidente da BFU e também ex-jogador do país, Borislav Mihaylov, em entrevista coletiva. “Um homem que acredita no futebol búlgaro e na seleção nacional”, continuou o ex-goleiro.

O grande desafio de Balakov será nas Eliminatórias para a Eurocopa 2020. O início do seu trabalho, em jogos oficiais, será no dia 7 de junho, quando enfrenta a Tchéquia. O seu antecessor, o também ex-jogador da seleção Peter Hubchev, se demitiu depois de duas partidas das Eliminatórias da Eurocopa 2020, em dois empates contra Montenegro e Kosovo, no Grupo A, que ainda tem a Inglaterra.

“Ser o técnico da seleção nacional é um privilégio e uma grande responsabilidade”, afirmou Balakov em sua coletiva de apresentação. “Eu tomei a decisão muito rapidamente”, continuou o agora treinador da seleção. A pressão será grande, porque a Bulgária não chega a nenhuma competição grande (Eurocopa ou Copa do Mundo) desde 2004.