A Copa do Mundo de 2030 possui algumas candidaturas oficiais. A mais comentada é a conjunta entre Uruguai, Argentina e Paraguai, levando o Mundial de volta ao seu “berço” nas comemorações do centenário. A Inglaterra também deve vir com força, em parceria com Escócia, Gales, Irlanda do Norte e Irlanda. Marrocos não larga o osso e possivelmente juntará forças com Argélia e Tunísia. Ainda há interesses expressos de Camarões, Egito, Espanha / Portugal e Coreia do Sul / Coreia do Norte / Japão / China. Já nesta sexta-feira, o ministro da Bulgária declarou que os Bálcãs devem ter a sua proposta, com seu país se candidatando ao lado de Sérvia, Grécia e Romênia.

Por enquanto, os quatro países europeus ainda estudam a possibilidade. A ideia foi levantada por Alexis Tsipras, primeiro ministro grego, durante uma reunião envolvendo estadistas das nações na cidade de Varna. A informação foi confirmada por Boyko Borissov, primeiro ministro búlgaro. “Acho que vale a pena discutir a proposta de Tsipras. A Bulgária já sediou em conjunto com a Itália o Mundial de Vôlei. Penso que os quatro países podem discutir melhor os planos e tentar receber a Copa de 2030”, apontou Borissov.

O principal evento futebolístico realizado nos Bálcãs foi a Eurocopa de 1976, sediada na Iugoslávia. Atenas e Belgrado já receberam finais da Liga dos Campeões. Bucareste, por sua vez, foi palco de uma decisão recente na Liga Europa e estará envolvida na fase final da Euro 2020, com direito a um jogo nas oitavas de final, além da fase de grupos. De qualquer maneira, o plano conjunto soa mais como um movimento político para deixar em evidência a aproximação dos estados do que propriamente uma possibilidade manifesta ao torneio. Não custa tentar.


Os comentários estão desativados.