A seleção italiana vive um processo de reformulação. Sob o comando de Roberto Mancini, os italianos tentam se reorganizar depois do vexame de ficarem fora da Copa do Mundo de 2018, na Rússia. Um ponto crucial é que Gianluigi Buffon não faz mais parte do elenco. Aos 40 anos, ele comentou sobre não defender mais a Azzurra e fez um enorme elogio ao seu atual companheiro de time, Marco Verratti, que acredita ser o jogador mais talentoso do futebol italiano recentemente.

LEIA TAMBÉM: Decisivo contra o Parma, Milik sublinha como pode ser importante na rotação do Napoli

“Está muito claro com Mancini”, disse Buffon à Gazzetta dello Sport. “Nós conversamos em maio e ele foi muito carinhoso e respeitoso. Foi uma conversa construtiva. Às vezes alguém com a minha história tem que dar um passo para trás em própria defesa. Infelizmente eu vivo de sentimentos e emoções e eu dou a minha alma pela causa. Pela seleção, eu dei ainda mais, e às vezes não fui reconhecido por isso”.

“Aos 40 anos, eu não quero que pareça que estou aqui apenas porque é o que eu quero, que estava e sempre estive lá porque sempre fui e sempre serei Buffon. Se não é assim que eles pensam, então estou bem em casa com a minha família, porque abri mão de muito tempo com eles pela seleção”, continuou o goleiro.

Buffon foi bastante duro em avaliar Marco Verratti, seu companheiro de PSG e que, segundo o lendário goleiro, é o maior talento italiano no momento. E fez críticas ao nível dos demais jogadores em relação ao meio-campista. “Marco é um jogador incrível, no momento ele é o único talento de verdade do futebol italiano em termos de como ele joga, a qualidade do seu toque e o modo como ele vê o jogo”, elogiou Buffon.

“Quando ele joga com jogadores normais, ele pode sofrer porque eles não o entendem, às vezes aqueles que são muito bons sofrem para serem entendidos pelos outros”, continuou. “Aqui, Marco tem sorte de jogar com grandes jogadores que são imediatamente capazes de entender onde a bola irá e onde eles a querem, então você vê que todos os seus movimentos são facilitados”, declarou ainda o goleiro.

Buffon deixou a Juventus, que segue como grande favorita no Campeonato Italiano. No próximo sábado, o time de Turim joga contra o Napoli, que tem sido o seu grande concorrente na liga local. “Insigne consolidou o seu crescimento agora, ele é um dos jogadores que, se estiver tudo certo e o contexto for o certo, pode vencer jogos”, analisou. “Eu tenho uma grande amizade e estima por Carlo Ancelotti, será um jogo muito difícil contra a Juventus no domingo”.

“A Juve é a Juve e no momento eles estão largamente à frente de todo mundo na Itália, e na Europa eles estão nos três melhores, sem nenhuma dúvida. Eles deveriam ser um exemplo para os outros times italianos”, continuou Buffon. O Napoli é adversário do PSG na Champions League, mas Buffon espera que as atenções estejam em outro jogador. “Se eu jogar, espero que Cavani roube a cena de mim, algumas vezes eu prefiro passar despercebido”, declarou Buffon.