A Argentina começará a Copa da Superliga com jogos com portões fechados em Buenos Aires. O governo da Cidade Autônoma de Buenos Aires determinou restrição nos espetáculos com muitas pessoas, incluindo eventos esportivos. Os jogos realizados na capital argentina precisarão ser com portões fechados, de forma a prevenir a transmissão do COVID-19, conhecido como Coronavírus.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou a situação do COVID-19 como uma pandemia. Isso levou as autoridades argentina a tomar novas decisões para prevenir contágios dentro do país. O chefe do governo da Cidade de Buenos Aires, Horacio Rodríguez Larreta, anunciou nesta quinta-feira que os eventos na capital serão sem público. E isso incluo o futebol, que tem o início da Copa da Superliga nesta sexta-feira. Com isso, o River Plate não poderá jogar com público na primeira rodada, contra o Atlético Tucumán, em partida marcada para o sábado.

“Restrição de espetáculos massivos: estão proibidos por um tempo os recitais, os espaços culturais massivos, os atrativos turísticos e as atividades de alta concentração de pessoas, incluindo espetáculos esportivos, que poderão realizar-se, mas sem público”, afirmou Horacio Rodríguez Larreta, no Twitter.

Larreta afirmou que ainda não há casos de circulação local do vírus, a chamada transmissão comunitária, entre os casos confirmados. São 12 casos em Buenos Aires, todos importados. São 19 confirmados no país, com uma morte. Para impedir que o contágio se espalhe, a medida é preventiva e valerá para o futebol também de divisões inferiores.

Além de River Plate e Atlético Tucumán, no Monumental de Núñez, também será afetado Huracán x Talleres, que será no domingo. O jogo terá portões fechados. Outros dois jogos da Primera Nacional (segunda divisão) também serão assim público, Nueva Chicago x Ferro e Defensores de Belgrano x Santamarina. Na Primera B Metro (terceira divisão), terão portões fechados Comunicaciones x Talleres (RE), San Telmo x Tristán Suárez. Na primeira C (quarta divisão), terão portões fechadas Victoriano Arenas x Argentino (M); Deportivo Español x Cañuelas; Excursionistas x Leandro N. Alem.

A medida da Argentina é preventiva e acontece antes do Brasil. Por aqui, são mais de 70 casos confirmados, segundo o G1. O Ministério da Saúde contabiliza 60 casos pelo país, em balanço divulgado aos jornalistas em coletiva na manhã desta quinta-feira, mas não leva em contra outros 19 casos já informados por outros órgãos.

Será importante que as autoridades brasileiras ajam rápido, porque os jogos de futebol são potenciais transmissores massivos do vírus pelo número de pessoas. Além dos governos brasileiros, tanto federal quanto estaduais, é bom que os dirigentes de futebol e organizadores dos campeonatos aqui pensem em agir rápido. Jogar sem público é uma primeira medida. Se não, talvez seja necessário paralisar daqui a alguns dias, quando o contágio se espalhar muito mais rapidamente.