Um jogo que começou difícil para o Flamengo no Maracanã, neste domingo, acabou em festa. O Corinthians, adversário da tarde, vinha de pressão e acabou derrota por 4 a 1, com uma atuação decisiva de Bruno Henrique, autor de uma tripleta, três gols. Além do atacante, quem também brilhou foi o meio-campista Gérson, que deu o ritmo do time. O domínio do Flamengo foi muito grande no jogo e a superioridade ficou evidente. Diante de 59.822 pagantes (64.985 presentes), o rubro-negro deu mais uma demonstração de força e segue caminhando firme rumo ao título do Campeonato Brasileiro.

O Corinthians chegou ao oitavo jogo sem vitória. A última vitória foi diante da Chapecoense, no dia 2 de outubro, fora de casa. De lá para cá, quatro empates e quatro derrotas. A atuação do time foi mais uma vez fraca, sem conseguir alternativas de jogo. O Flamengo, muito superior coletiva e tecnicamente, devorou o Corinthians e pôde até diminuir o ritmo no segundo tempo para poder poupar forças, diante da maratona que vive neste momento.

O técnico Jorge Jesus decidiu não levar a campo o lateral esquerdo Filipe Luís, que ficou no banco de reservas. Entrou Renê em seu lugar. No mais, contou ainda com a volta do goleiro Diego Alves, que estava machucado. Gabigol, suspenso, foi substituído por Reinier e não Vitinho, que era o mais cotado. Na rodada passada o titular foi César, que acabou expulso. Gabriel Batista precisou entrar em campo. Ficou no banco na partida deste domingo.

Já Fabio Carille, pressionado por protestos de torcidas organizadas nesta semana, foi a campo com uma formação um pouco diferente da que vinha jogando. Atuou em um 4-4-2, em um meio-campo que tinha Ramiro aberto de um lado, Matheus Vital de outro, Ralf e Júnior Urso pelo meio. No ataque, entrou Gustavo, com Vagner Love suspenso e Mauro Boselli no banco de reservas.

O jogo começou equilibrado. Os primeiros 20 minutos de jogo tiveram o Corinthians atacando mais do que vinha fazendo nas últimas partidas, conseguindo até superar o número de chutes a gol do Flamengo. Só que passados esses primeiros minutos, o Flamengo, que já tinha o controle do jogo com posse de bola, começou a chegar com mais perigo.

E aos 42, lançamento de Éverton Ribeiro para Arrascaeta, que tocou na bola e foi tocado por Cássio. Um lance discutível, mas que há o contato do goleiro com o atacante. A questão é se foi faltoso. O árbitro considerou que sim e o VAR, tacitamente, também, ao referendar a decisão. Bruno Henrique cobrou o pênalti, Cassio defendeu, mas o próprio atacante marcou no rebote: 1 a 0.

Antes que houvesse tempo para respirar, no lance seguinte, Gerson fez uma jogada de craque. Arrancou com a bola, deu um drible da vaca em Ralf e fez um passe que abriu o campo, colocou Bruno Henrique na cara do gol. O atacante teve tranquilidade e categoria para tocar por cima do goleiro e marcar 2 a 0, aos 47 minutos, já com os acréscimos em andamento.

Na volta para o segundo tempo, o técnico Jorge Jesus fez uma troca. Deixou Reinier no vestiário e levou Vitinho a campo. O camisa 11, que vem entrando bem no time, ganhou a chance de jogar um tempo inteiro, em um jogo que era cotado para iniciar como titular. E sua entrada se justificou. O camisa 11 foi muito bem na etapa final.

Mal começou o segundo tempo e o Corinthians, que deu o pontapé de saída, perdeu a bola. O Flamengo tratou de punir rapidamente e tornar a montanha que o Corinthians precisaria escalar para voltar ao jogo em um Everest. Pablo Marí lançou da defesa, Arrascaeta raspou de cabeça para Bruno Henrique, que recebeu na ponta esquerda e tocou de leve, no cantinho, para marcar 3 a 0. O jogo tinha 30 segundos de bola rolando quando a bola entrou.

O Corinthians conseguiu alguma reação aos seis minutos. Pedrinho recebeu pela direita, cruzou de pé esquerdo para a área e Matheus Vital, na segunda trave, tocou de cabeça. A bola passou por baixo das pernas do goleiro Diego Alves, que falhou no lance. Foi apenas um momento de baixa em um jogo que o Flamengo dominou.

Aos 21 minutos do segundo tempo, Vitinho tinha a bola próximo à área e, com o pé esquerdo, soltou um chutaço, no alto, e acertou bonito: a bola caiu dentro da rede. Um golaço do camisa 11, que mostrou mais uma vez uma qualidade que ficou muito tempo apagada: o seu excelente chute, com as duas pernas. Com Jorge Jesus, voltou a ser uma arma importante para o Flamengo vindo do banco de reservas.

O Corinthians não mais conseguiu reagir, nem o Flamengo fez questão de forçar o ritmo. Naturalmente, o jogo caiu de ritmo, de qualidade e os dois times pareceram torcer para o jogo acabar. O Flamengo para ratificar mais uma vitória que já estava definida; o Corinthians para não sofrer mais gols.

A goleada pesa muito contra o Corinthians. É um placar pesado para o treinador Fabio Carille. Foi a primeira vez que o técnico sofreu quatro gols pelo Corinthians em um jogo oficial. Antes, isso só tinha acontecido uma vez, em um jogo amistoso pela Florida Cup, um 4 a 2 contra o Rangers, da Escócia.

Depois do jogo, o repórter Eric Faria, da Globo, perguntou a Pedrinho se faltava entendimento com a comissão técnica e o atacante admitiu que sim. “É difícil essa fase. Chegamos a ficar muito jogos sem perder no campeonato, mas agora vivemos uma fase ruim. Falta um pouco mais de entendimento da nossa parte. Fizemos jogos muito abaixo. Precisamos melhorar”, disse o jogador.

Depois do jogo, o presidente do Corinthians, Andrés Sánchez, anunciou em uma curta coletiva de imprensa que Fabio Carille não seria mais o treinador do clube. O técnico sai em baixa, depois de voltar em alta da Arábia Saudita. O Corinthians precisará encontrar um rumo nas rodadas finais do Campeonato Brasileiro para entender o que precisará fazer. Segundo o presidente corinthiano, Carille não será o único a sair. Vai ter mais mudança pela frente.

Consequências de uma derrota pesada do Corinthians no Maracanã. O Flamengo, por sua vez, segue firme e forte na ponta da tabela do Brasileirão, contando os jogos para poder conquistar, enfim, o título que não vem desde 2009.

Standings provided by Sofascore LiveScore