Brilhantes nas Eliminatórias, Lewandowski e Eriksen carregam a ambição de suas seleções rumo à Copa

Poloneses estão a um ponto da Copa do Mundo, enquanto os dinamarqueses conquistaram uma vitória vital pela repescagem

A Polônia esta a um ponto de retornar à Copa do Mundo. Soberanos durante quase toda a campanha no Grupo E, os alvirrubros tomaram um susto em setembro, com a derrota para a Dinamarca, mas já retomaram seu rumo. Nesta quinta, não tiveram piedade da Armênia na visita a Yerevan, goleando os anfitriões por 6 a 1. Precisarão apenas de um empate na última rodada, quando recebem Montenegro. No entanto, o grande resultado da rodada na chave foi outro. Ficou por conta da Dinamarca, que assumiu a segunda posição isoladamente ao bater os próprios montenegrinos, por 1 a 0. Resultado que deve encaminhar os escandinavos ao menos à repescagem.

A rodada foi dominada, sobretudo, pelos dois grandes destaques individuais do Grupo E: Robert Lewandowski e Christian Eriksen. Dois jogadores que fazem uma diferença tremenda às suas seleções. Mais cedo, Lewandowski se encarregou de massacrar a Armênia. O centroavante anotou três gols em Yerevan, com destaque para o primeiro, em uma belíssima cobrança de falta. Agora, é ele quem detém o recorde como o maior goleador em uma única edição das Eliminatórias europeias, superando Cristiano Ronaldo, em disputa que deve se alongar até a última rodada. Além do artilheiro, Lukasz Piszczek e Kamil Grosicki também ofereceram ampla contribuição ao passeio.

Já em Podgorica, Montenegro tinha a oportunidade em suas mãos. Bastava vencer a Dinamarca para chegar à última rodada com chances de conquistar a vaga direta, caso superasse também a Polônia em Varsóvia. Agora, no máximo, terão que se contentar com a repescagem. Aos 16 do primeiro tempo, os dinamarqueses arrancaram o triunfo fundamental por 1 a 0, em chute rasante de Eriksen da entrada da área. Todas as vezes em que o camisa 10 deixou a sua marca nesta campanha, os escandinavos venceram, com sete tentos acumulados em seis vitórias. E o outro protagonista do Grupo E, Stevan Jovetic, mal pode ajudar os montenegrinos. O atacante, que deu a assistência no gol do triunfo em Copenhague durante o primeiro turno, desta vez precisou ser substituído com 20 minutos, lesionado.

Somando 22 pontos, a Polônia só dependerá de si em Varsóvia, com um empate já servindo. A Dinamarca, com 19 pontos, ainda pode arrancar a vaga direta. Para tanto precisa derrotar a Romênia em Copenhague e torcer por uma derrota simples dos poloneses. Já Montenegro, com 16 pontos, só pode almejar a vaga na repescagem. Teria que derrotar os poloneses, contar com um revés dos dinamarqueses e ainda tirar a diferença no saldo – atualmente de dois gols, mas com um gol marcado a mais para os escandinavos. Se Jovetic não voltar até o próximo domingo, tudo parece ainda mais difícil aos montenegrinos.