Brighton e Burnley estão longe de figurar entre os principais ataques da Inglaterra. Pelo contrário, enquanto o Burnley se notabilizou pelo futebol de resultados, o Brighton sequer teve média de um tento por jogo na temporada passada. Desta maneira, os pontos conquistados pela dupla nesta rodada inaugural da Premier League chamam bastante atenção. Ambos passaram o carro contra adversários que, se não ocupam um patamar tão superior, poderiam dar mais trabalho. O Brighton visitou o Watford e derrotou os anfitriões por 3 a 0 em Vicarage Road. Já o Burnley não teve problemas para superar o Southampton também por 3 a 0 em Turf Moor.

Ao mudar completamente sua filosofia de jogo, o Brighton é um time a se acompanhar de perto. Trocou Chris Houghton para confiar em Graham Potter, reconhecido por seus métodos pouco usuais e também pelo estilo destemido de suas equipes. Ao menos neste primeiro momento, suas ideias parecem bem assimiladas. Tudo bem que o primeiro tento dependeu de um gol contra de Abdoulaye Doucouré, aos 28 minutos. Já no segundo tempo, Florian Andone e Neal Maupay puniram os desleixos da defesa do Watford. A quem ainda conta os pontos para fugir do descenso, já é um ótimo saldo.

Já o Burnley, com o bom e velho Sean Dyche, não fugiu de seu roteiro. As bolas longas foram essenciais aos três gols anotados durante o segundo tempo, com a precisão nos arremates também valendo bastante. Ashley Barnes aproveitou muito bem os lançamentos, para anotar dois tentos no intervalo de apenas sete minutos. Já aos 30, Johann Gudmundsson fechou a contagem ao ganhar o pé de ferro e finalizar cruzado. Depois da queda de desempenho na última temporada, os grenás poderão provar seu verdadeiro patamar, quem sabe para se aproximar outra vez da parte de cima da tabela.

Outro clube que comemorou o resultado foi o Sheffield United, mesmo sem conquistar a vitória. Em sua reestreia na primeira divisão, a equipe se contentou com o empate por 1 a 1 contra o Bournemouth, em Dean Court. Chris Mepham abriu o placar já no segundo tempo e as Blades arrancaram a igualdade aos 43, num lance brigado do ídolo Billy Sharp – o torcedor fantasiado de camisa 10 que conduz a ascensão da equipe desde a terceira divisão. Se o equilíbrio entre os clubes médios é uma marca da Premier League, o início aumenta expectativas pela abertura.

Você sabia que a Trivela agora está no YouTube? Inscreva-se no canal e nos acompanhe por mais um meio e em mais um formato! Confira o vídeo mais recente: